Autarcas querem uma estação de correios em cada freguesia

27
visualizações

CDU e PS defendem nacionalização dos CTT

 

- Pub -

O presidente Álvaro Amaro apresentou na última reunião da Câmara de Palmela uma moção pelo serviço postal público que defende a “criação de uma estação de correios em cada freguesia do concelho”.

Para o autarca “o serviço prestado pelos CTT mantém a sua pertinência e um forte impacto na vida das populações, em particular, aquelas que estão mais longe dos grandes centros urbanos” pelo que lamenta a  aposta “noutras áreas de negócios”, entregando “o ónus  às autarquias locais”.

Álvaro Amaro lembra que “existem duas estações de correios em Palmela e Pinhal Novo”, mas “nas restantes freguesias, o serviço é prestado quer por Juntas, quer por comerciantes” e daí que “seja indispensável a existência de um serviço postal público, universal e de qualidade”.

O autarca considera “inadmissível que a Quinta do Anjo não tenha uma estação de correios, cujo serviço está a funcionar numa papelaria nos Portais da Arrábida”. Já no território da União das Freguesias de Poceirão e Marateca, lembrou, “existem três postos de correio a funcionar a tempo inteiro, que envolvem uma despesa de 45 mil euros anuais, em que os CTT pagam apenas 13 mil euros”. Na zona de Lagameças, “o serviço postal é prestado por um armazém de fitossanitários, esquecendo-se que os correios são tão prioritários como uma agência bancária ou um multibanco”.

Para o vereador socialista Raúl Cristóvão, “o serviço postal devia voltar à esfera pública e também nós defendemos uma estação de CTT em cada freguesia”, porque “ao contrário do serviço público que devia ser prestado, são espaços de atendimento bancário e venda de produtos”. José Calado, vereador do MIM, lamentou “há asneiras que se fazem e as populações é que sofrem”.

O vereador Paulo Ribeiro (PSD/CDS-PP) justificou a abstenção dizendo que “trata-se de uma moção envergonhada que defende a nacionalização dos CTT” e garante “não voto a favor porque o que pretendem é que passem um cheque em branco a renacionalização”.

 

Núcleo Museológico a concurso e obras na Urbanização Val’ Flores adjudicadas

 

O presidente da autarquia revelou que “foi lançado o concurso público para obras na antiga Estação de Pinhal Novo, para a instalação do núcleo museológico dedicado aos ferroviários”. Álvaro Amaro anunciou que a intervenção “irá decorrer no átrio central e na gare, envolvendo um investimento de 30 mi euros”. A obra contempla a criação de um percurso acessível a cidadãos com mobilidade condicionada e terá um acesso para o alçado nascente do edifício de forma a permitir a observação dos painéis de azulejos.

A empreitada de construção da Rua do Assentador e rotunda, na Urbanização Val’Flores, foi adjudicada por mais de 211 mil euros e irá servir a construção dos primeiros lotes servidos por este arruamento e a futura construção da nova Igreja, a sul.

Comentários

- Pub -