FACECO: Empreendedores premiados, viaturas para IPSS e nova vida para o Mira

55
visualizações

Depois da banda Diabo na Cruz ter encerrado a programação do primeiro dia da FACECO, o segundo dia esteve repleto de atividades, animações e uma série de eventos. As expectativas de enchente não ficaram aquém e muitas pessoas marcaram presença este sábado para assistir às provas de mel, queijos e vinhos, aos concursos bovinos e, mais tarde, pelas 22:30 horas, para ver de perto o espectáculo de Carolina Deslandes, um dos pontos altos dos três dias.

- Pub -

 

Espírito empreendedor premiado

O segundo dia da FACECO premiou o empreendedorismo, destacando quatro projetos locais. O Prémio Espírito Empreendedor é já um dos destaques habituais do certame e volta a servir como rampa de lançamento para quatro empresas de áreas distintas.

“Este é um prémio que consideramos importante e que se insere no programa Odemira Empreende, que pretende trazer para o território novas iniciativas. Para isso não basta dar apoio – é preciso estimular que todos tenham espirito empreendedor e nós tentamos faze-lo, premiando as melhores e mais inovadoras ideias”, disse Ricardo Cardoso, vice-presidente da autarquia, que enalteceu a participação recordista, com 15 iniciativas a concurso.

Em terceiro lugar ficou o Hostel Natura, de Diogo Proença, atrás do Projeto Joalheria, de Elza Santos Pereira, e do vencedor Be Happy Sail Into Natura, de Rita Norberto. A distinção para “melhor ideia empreendedora e criativa” foi para o projeto Pic Nic Lovers, de Pedro Miguel Silva, que em breve dará os primeiros passos.

Os três melhores projetos receberam da autarquia um montante de 500, 1000 e 2000 euros, respetivamente, com a melhor ideia a levar para casa 2 mil euros também. Os vencedores foram ainda distinguidos com uma escultura do artesão João Amarante. Na cerimónia foi ainda apresentado o vídeo promocional do Odemira Empreende, que revelou dados oficias do programa, que já resultou na criação de 70 empresas e 100 postos de trabalho.

 

Crédito Agrícola doa viaturas a IPSS locais

Uma dezena de instituições de solidariedade social (IPSS) de Odemira e Aljezur receberam ontem viaturas entregues pelo Crédito Agrícola. A entidade bancária investiu 150 mil euros em dez carrinhas Peugeot Partner, que servirão entidades que apoiam idosos e crianças entre os dois concelhos.

“A nossa missão é criar dividendos Malta distribuir pela comunidade local e prestar um apoio integrado, em todos os aspetos. 50% das pessoas destes concelhos acham que nós somos o banco mais importante, dão-nos a sua confiança, e nós gerimos isso para produzir resultados que depois canalizamos para a comunidade”, disse António Louçã, presidente do conselho de administração da Caixa Agrícola de Odemira e Aljezur, revelando outro dos apoios prestados: 25 mil euros para a aquisição dos copos reutilizáveis que fizeram a estreia no certame. “Atravessámos a crise sem resultados negativos. Quantos bancos o conseguiram? Desde 2014 os resultados começaram a subir e, nos últimos anos, tivemos resultados de cerca de 1,5 milhões de euros, que servem para estas atividades”, acrescentou.

Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos de S. Teotónio, Associação de Reformados e Idosos de Vila Nova de Milfontes, Associação Nossa Senhora do Mar, Associação Humanitária D. Ana Pacheco, Casa do Povo de S. Luís, Casa do Povo de Relíquias, Casa do Povo de S. Martinho das Amoreiras e Creche Os Calculinhos/Sociedade Recreativa Santeotoniense foram as instituições de Odemiram que receberam a doação, às quais se juntam duas outras do concelho de Aljezur.

A importância desta doação foi frisada por José Alberto Guerreiro, presidente do município, que falou numa “iniciativa que marca o ano” e que vem reforçar aquele que tem sido o papel do Crédito Agrícola no apoio social. “As instituições têm tido um trabalho notável, em grande parte baseado em voluntários que dedicam o seu tempo na ajuda a estas pessoas. (…) Não tenho palavras para descrever este momento. É difícil transmitir a gratidão que as pessoas de Odemira e Aljezur sentem”, disse o edil.

 

Revitalização do Mira apresentada

Depois de assinado o Pacto do Mira entre município e outras treze entidades, o Plano Estratégico e Operacional de Valorização para o Rio Mira foi apresentado no auditório da FACECO. O programa, que ainda não está fechado, irá decorrer com iniciativas a curto, médio e longo prazo, e o orçamento só será conhecido quando o documento final estiver aprovado.

O plano estratégico pretende valorizar o rio e as áreas envolventes, bem como reforçar a identidade cultural do município. As intervenções começam na Albufeira de Santa Clara e só terminam em Vila Nova de Milfontes. Entre as várias operações propostas estão a requalificação de margens, cais e percursos de acesso, a valorização da Ponte D. Maria, as criações de abrigos para observação de aves, de um centro náutico e de um parque de campismo nas imediações da albufeira e a construção de uma área de serviço para caravanas e a requalificação do espelho de água em Santa Clara-a-Velha. Para Odemira está prevista a construção de um centro interpretativo do rio na antiga Fábrica do Miranda e a recuperação da barca para a travessia, enquanto que para Vila Nova de Milfontes as intervenções passam por obras nos cais existentes e a construção de um cais turístico na Praia das Furnas e de um centro náutico para a prática desportiva. Está ainda nos planos a aquisição e instalação de uma depuradora para obras, cujo local será determinado pelo município.

O próximo passo será a aprovação do plano resumido anteriormente, bem como a conclusão do plano de investimento, financiamento e marketing territorial. Só depois será possível avançar para o documento final, com intervenções que se estenderão para lá da próxima década.

Comentários

- Pub -