Câmara e Repsol prolongam manutenção de ‘bombas’ na Avenida da Olivença

124
visualizações

Contrato foi rubricado ontem nos Paços do Concelho. Arrelvamento sintético do campo do Afonsoeiro e uma ambulância para cada corporação dos bombeiros do concelho (Montijo e Canha) são as contrapartidas a garantir pela empresa

 

- Pub -

 

O posto de abastecimento de combustível da Repsol na Avenida da Olivença, no Montijo, vai continuar a funcionar por mais 12 anos, na sequência do novo contrato de arrendamento rubricado ontem entre o município e a empresa, que fica obrigada a dotar o campo de futebol do Afonsoeiro de relva sintética e a adquirir duas ambulâncias para as corporações de bombeiros do concelho.

Nuno Canta, presidente da Câmara Municipal do Montijo, e Armando Oliveira, administrador delegado da Repsol, assinaram no Salão Nobre dos Paços do Concelho o documento que determina o prolongamento do arrendamento por 12 anos, aumentando para o dobro a extensão temporal do contrato (o anterior era de seis anos).

A renda mensal irá ascender aos 8 mil e 295 euros, com a empresa a ficar responsável pela execução da “obra de arrelvamento sintético do Campo Municipal do Afonsoeiro, no valor estimado de 202 mil e 748 euros mais IVA”, e pela aquisição de “duas ambulâncias novas de transporte de doentes, no valor unitário de 37 mil euros, uma para a corporação dos Bombeiros Voluntários do Montijo e outra para os Bombeiros Voluntários de Canha”, revelou a autarquia.

Para Nuno Canta, o acordo entre as duas partes foi alcançado “de forma aberta, transparente e na salvaguarda do interesse público”.

“É um documento que é benéfico para o Montijo. Para lá de um aumento no valor da renda, permite melhorar as condições do campo do Afonsoeiro usado pelo Estrela Futebol Clube Afonsoeirense e capacitar o socorro às populações, com mais duas ambulâncias para os bombeiros do concelho”, disse o autarca.

Pela Repsol, Armando Oliveira lembrou que o novo contrato “resulta do esforço” das partes envolvidas e que os investimentos a realizar pela empresa, no âmbito do acordo estabelecido, foram indicados pelo presidente da Câmara.

Oposição com leituras diferentes

O novo contrato havia sido discutido e votado na Câmara Municipal, tendo a proposta sido aprovada com os votos favoráveis da gestão socialista e do vereador do PSD. A CDU absteve-se, defendendo que o contrato, no que toca à execução da obra do arrelvamento sintético do campo do Afonsoeiro, pode consubstanciar uma violação do Plano Director Municipal, conforme vincou a O SETUBALENSE o vereador comunista Carlos Jorge de Almeida.

Já o PSD considerou a proposta socialista pacífica. “Traz mais-valias para o concelho e por isso o PSD votou a favor. O contrato foi melhorado e isso é positivo”, defendeu o vereador social-democrata João Afonso.

A proposta foi votada na reunião pública quinzenal do executivo realizada no passado dia 21 de Agosto.

Comentários

- Pub -