História e cultura de Cabo Verde em destaque no Vale da Amoreira

33
visualizações

Aposta na gastronomia e na música tradicional é destacada através de  workshops

 

- Pub -

O evento “Outubro: Mês da Cultura Cabo-verdiana e das Comunidades”, promovido pela Associação de Solidariedade Cabo Verdiana dos Amigos da Margem Sul do Tejo (ACVA) decorre este Sábado e no próximo, no Vale da Amoreira.

Segundo Luísa Brito, directora da ACVA Vale da Amoreira, “o evento procura promover a inclusão social e difundir a cultura cabo-verdiana através de workshops”, afirma.

Por ser de âmbito comunitário, a Associação Cabo-verdiana do Vale da Amoreira tem como principal objectivo trabalhar não apenas para a população cabo-verdiana, mas para toda a comunidade”, refere Luísa Brito, acrescentando ainda que, “neste evento abrimos espaço para que todos os que queiram conhecer mais da cultura cabo-verdiana o possam fazer”, conta.

Há três anos que a ACVA promove realizar este evento para celebrar o mês de Cabo-verde, tendo sido implementada este ano a ideia de celebrar este dia a 18 de outubro, “Dia Nacional da Cultura Cabo-verdiana”, com a realização de atividades ao longo de todo omês. “Já fizemos dois workshops até agora. No ano passado não fizemos os workshops durante o mês inteiro, focamo-nos mais no dia da cultura cabo-verdiana. Mas este ano resolvemos dedicar o mês de outubro a cultura ao nosso país e comunidade”, refere. “Temos dedicado uma parte do evento a componente teórica e prática. Na teórica é feita alusão aos ingredientes utilizados para confecionar os pratos. Na prática são os participantes que cozinham e o que é preparado é distribuído no lanche”, revela.

Os workshops são direccionados, sobretudo, para técnicos de instituições com interesse em conhecer a cultura e gastronomia de Cabo Verde. “Temos tido muita aderência nos workshops que criamos. Somos mais procurados por técnicos que trabalham com a comunidade e que sentem interesse em aprender mais sobre como lidar com as diferenças culturais”, afirma Luísa Brito.

Para o dia 19, pelas 16h00, está previsto um workshop de Pastéis de Midju, uma iguaria exclusivamente cabo-verdiana. No dia 26 realiza-se o workshop de Batuque, gênero musical que é património cultural de Cabo Verde.

De acordo com a directora da Associação Cabo-verdiana do Vale da Amoreira “É muito importante criar eventos que possam dar a conhecer a nossa cultura. Nós temos que divulgar a nossa cultura para que as pessoas possam nos conhecer”, diz. “Acredito que conhecendo a cultura de um povo podemos conhecer o povo em si, os seus hábitos e as suas crenças. É assim que se conhece a essência e a cultura de um povo”.

Sob esta máxima a iniciativa promove a interculturalidade. “Muitas vezes existem desentendimentos devido a falta de conhecimento dos costumes culturais de cada país. Por isso realizamos um evento que possa ajudar a mostrar um pouco da nossa cultura e das nossas tradições”, conta.

Segundo Luísa Brito os apoios têm permitido criar um evento a novo todas as semanas. “Os apoios que temos são da Câmara Municipal da Moita, União de Freguesias da Baixa da Banheira e Vale da Amoreira, Embaixada de Cabo Verde e da Room, que é uma cooperativa social do qual sou técnica, nossa apoiante desde o inicio do projecto”, refere.

Está programado para o dia 1 de novembro, último dia das comemorações, um jantar convívio onde o prato principal será uma Cachupa. Para terminar a noite vai ser realizada uma serenata pelas ruas do Vale da Amoreira. “A serenata vai ser feita por um grupo de músicos e por todos os que participarem do jantar convívio. A ideia é trazer a comunidade à rua”, salienta Luísa Brito.

Comentários

- Pub -