Pudim de Feijão da Bonanza conquista primeiro prémio

37
visualizações

Com mais participantes que na edição anterior, o concurso tem vindo a crescer pela qualidade dos concorrentes e também por ter um júri profissional

 

- Pub -

O 15.ª Concurso de Doçaria Tradicional teve este ano um aumento da participação de amadores recebendo um total de 29 doces a concurso, nas categorias Amadores e Profissionais, entre os quais um doce de Natal, novidade nesta edição.

 

O 1.º prémio na categoria Profissional foi entregue à “Pastelaria Bonanza” pelo doce “Pudim de Feijão”, e o 2.º prémio desta categoria foi para “O Pial” com a “Delícia Frutada”. Cláudia Fernandes recebeu na categoria de Amador o 1.º prémio com o doce “Tecolameco”, Rui Conceição ficou em 2.º lugar com o “Morgado do Bussaco” e Saida Boudarballa levou o 3.º prémio com o bolo “Floresta Negra”. O prémio na categoria extra – Doce de Natal foi para a Pastelaria Bonanza com o “Bolo Rei”.

 

O presidente da Câmara do Barreiro, Frederico Rosa, destacou a qualidade dos elementos do júri. “A presença de um júri profissional marca o concurso. Significa que não olha apenas por simpatia para o que é feito, mas antes com um olhar profissional, o que ajuda os concorrentes a poderem melhorar”.

 

Este tipo de mostra seja de doçaria ou de gastronomia “pode de facto abrir muitas portas e dar a conhecer o concelho e nesse sentido, este desafio foi largamente superado na 15.º edição”, acrescentou.

 

Clara Pereira, representante da Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa e presidente do júri desta mostra, sublinhou a importância deste tipo de eventos por aquilo que contribuem para o crescimento de uma região.

 

“A gastronomia e os vinhos são o primeiro item escolhido pelo turista que nos visita”, disse. A júri felicitou o Barreiro por manter as raízes com estes concursos que fazem com que o Concelho seja um dos municípios a contribuir para que cada vez mais turistas atravessem o rio e venham visitar a península de Setúbal”.

 

Por sua vez Andreia Borba, membro do júri, proprietária da “Confeitaria Santa Coina”, finalista distrital do Concurso 7 Maravilhas Doces de Portugal recordou o arranque da sua carreira na doçaria, cujo início foi precisamente neste Concurso onde ganhou o 1.º prémio com os “Travesseiros de Coina”. Para a júri este tipo de mostra “é uma valorização do património cultural e gastronómico de Portugal”.

 

Luís Narciso, representante da Comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal e as Chef Irene Pimenta e Sandra Valente também fizeram parte do júri.

Comentários

- Pub -