Município investe mais de 1,6 milhões em viaturas para recolha de lixo

44
visualizações

Mais de 1,6 milhões de euros em oito novas viaturas para recolha de lixo doméstico é o valor do investimento que a Câmara de Almada vai efectuar. Os veículos vão estar todos ao serviço do município no decorrer deste ano.

- Pub -

“Até ao final de 2019, a recolha do lixo doméstico vai contar com oito novas viaturas. O objectivo é promover um serviço de maior qualidade e renovar a frota de veículos”, garantiu a autarquia em comunicado.

Na mesma nota, o município explica que a aquisição dos novos veículos foi aprovada em reunião de câmara, na quarta-feira, e que envolve um investimento municipal “superior a 1,6 milhões de euros”.

De acordo com a edilidade, “os novos veículos, mais modernos, apresentam menores consumos de combustível”, destacando-se ainda por serem “mais silenciosos e rápidos durante o processo de recolha dos resíduos urbanos”.

A autarquia salientou ainda que sete das oito viaturas têm capacidade para 26 toneladas e cinco estão equipadas com uma grua para recolha de contentores enterrados.

A limpeza urbana em Almada tem sido um dos temas quentes no concelho, o que motivou a CDU a apontar, em Novembro passado, alguns problemas “de ineficiente actuação ao nível da recolha de lixo”.

Uma ideia que o município desmentiu e justificou com o “aumento populacional no Verão”, aliado a “uma frota completamente obsoleta”.

Segundo a vereadora da Higiene Urbana, Teodolinda Silveira, a Câmara de Almada dispunha de 23 viaturas, mas apenas nove continuavam operacionais.

Nessa ocasião, o município revelou que o orçamento municipal para 2019 incluía seis milhões de euros para a limpeza urbana, com oito novas viaturas para a recolha de resíduos, sete para a limpeza urbana e a contratação de 70 funcionários para esta área.

No comunicado agora divulgado, a autarquia realça ainda que o contributo dos cidadãos também é essencial para manter o concelho limpo, alertando para que sejam mantidas fechadas a tampas dos contentores e para que “não se deposite lixo fora do contentor, caso esteja cheio”.

Lusa

Comentários

- Pub -