Troia: da Torralta ao complexo turístico da Sonae

106
visualizações
By Jorge Brazil from Rio de Janeiro, Brazil – Setúbal e Troia, Portugal, CC BY 2.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=60015922

Troia é, atualmente, um marco de sucesso no ramo imobiliário, mas a região nem sempre teve todo o sucesso que apresenta hoje em dia.

- Pub -

Antes de ser um complexo turístico da Sonae, algumas porções da região pertenciam à Torralta e esta tinha diversos planos para o futuro, como estruturas impressionantes e um complexo de piscinas que era considerado um dos maiores na Europa.

Infelizmente, o projeto não resultou.

Saiba mais sobre a história de Torralta e do complexo turístico da Sonae, o Troia Resort, e descubra algumas das razões pelas quais acreditamos que deve visitar a região.

De Torralta ao complexo turístico da Sonae

A partir do momento em que foi construída a ponte 25 de abril, acreditou-se que o fluxo de população para a margem sul iria subir, portanto faria sentido aproveitar Troia para uma bela zona de turismo.

Apesar dos diversos projetos, nunca nenhum saiu do papel, pelo menos até ao ano de 1969, quando a Torralta adquiriu 100 hectares da região. Acreditou-se que seria um grande sucesso pois a entidade já tinha obtido bons resultados numa urbanização no Algarve.

O plano da Torralta implicava a construção de seis torres – das quais só três viriam a ser construídas -, um complexo de piscinas – que foi considerado um dos maiores da Europa –, o Club Hotel – que nunca foi terminado – entre outros.

Mais tarde, Torralta adquiriu mais 450 hectares à SOLTROIA e um novo plano foi elaborado, plano esse que englobava a construção de estruturas culturais, como as salas de congressos, um teatro, um museu de história de Troia, um centro de estudos oceanográficos e muito mais.

Após o 25 de abril tudo foi posto em causa e foram encontradas irregularidades nas contas da empresa; foi uma questão de tempo até que as propriedades voltassem a ser entregues aos antigos donos. A Torralta voltou a tentar, mas onze anos depois foi vendida à Socifa.

Finalmente, em 1997, o estado celebrou um contrato com a Sonae e um novo plano foi elaborado. Em 2001 começaram as obras em Troia e a 8 de setembro de 2008 o Troia Resort foi, oficialmente, inaugurado.

Visitar Troia: o que fazer em Troia?

1. Marina de Troia

Esta marina destina-se ao estacionamento e ao acesso de embarcações; atualmente a sua capacidade é de 184 embarcações. Além das comodidades típicas de uma marina, também pode encontrar restaurantes, esplanadas e lojas ao redor.

Este local possui bandeira azul, o que significa que cumpre os critérios rigorosos destinados à qualidade ambiental. A área circundante é o habitat de uma espécie de golfinhos e, por perto, é possível ver alguns. Para proteção destes seres, são necessários alguns comportamentos preventivos e de proteção.

2. Ruínas Romanas de Troia

By CorreiaPM – Own work, Public Domain, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=16238336

As ruínas romanas de Troia estão classificadas como Monumentos Nacionais e nestas podem ser encontrados vestígios romanos do que, anteriormente, foi um enorme complexo de produção de conservas e molhos de peixe.

Foram realizadas escavações no local, onde foram descobertas oficinas de salga, termas, um mausoléu, uma basílica paleocristã, diversas necrópoles, um núcleo residencial e uma rota aquária – também conhecida por roda de água.

No local foi criada uma equipa arqueológica que promove visitas ao local e ainda investiga o mesmo. As visitas guiadas são a única forma de ter uma visita completa ao local; durante a visita encontrará diversos painéis explicativos.

Para encontrar as ruínas deve dirigir-se pela estrada Troia-Comporta. Importante referir é que desde a estrada até às ruínas são 2,5km num cainho de terra batida. No entanto, chegando ao local, a caminhada será compensada.

3. Comporta

Comporta é uma zona próxima a Troia e que se apresenta como um verdadeiro local paradisíaco. As suas praias têm areia branca e um mar azul cristalino, assim como um clima chamativo.

O local também apresenta alguns bares, restaurantes, cafés e outros mais destinados a quem vai à praia, com chuveiros. O local tem um parque de estacionamento.

4. Parque Natural da Serra da Arrábida

Junto ao mar situa-se o Parque Natural da Serra da Arrábida com uma beleza incomparável. Aqui o azul do mar e o verde da serra misturam-se, oferecendo uma experiência relaxante aos seus visitantes.

No local encontra uma grande riqueza vegetal e animal; as atividades também estão presentes neste parque, tanto para os mais novos, como para os graúdos.

Além destes, existem outros locais de visita obrigatória, como a própria praia, a baía do estuário do Sado, o cais palafítico da Carrasqueira, o casino e muito mais! Troia é, sem dúvida, uma região que não pode deixar de visitar.

- Pub -