INTROSYS à conquista de mais mercado na Península de Setúbal

129
visualizações

Para não depender, quase na totalidade, do mercado externo (90%) a empresa está agora a prestar também muita atenção a Setúbal. Com novos projectos pretende alargar a sua presença na região a mais e variados sectores de actividade.

 

- Pub -

Criada em 2002 a INTROSYS, especialista em automação industrial, rapidamente ganhou a confiança de clientes e parceiros, graças à diferenciação permitida pelos processos de gestão e de organização que implementou. Líder de mercado, actuando além fronteiras desde 2004, a empresa tornou-se numa referência na área dos sistemas de controlo robotizados, revolucionando por completo a indústria da manufactura robotizada. Na vanguarda da evolução tecnológica, a INTROSYS é responsável pelo desenho de software para robôs industriais, com especial incidência na Indústria Automóvel e Aeronáutica. Actualmente, para além dos produtos que desenvolve, quer na área da robótica móvel, quer na área da automação, a empresa também já oferece formação qualificada para a indústria automóvel, tendo subsidiárias no México, Alemanha e China desenvolvendo projectos por todo o mundo.

 

Empresa apostou na investigação e desenvolvimento e acaba de criar um produto para responder a qualquer tipo de situação no campo da visão, designado por  iSent.

 

 

Na sua carteira de clientes destacam-se a Volkswagen e, mais recentemente, a Mercedes. Com o mercado internacional sob controle as atenções viram-se agora de forma mais assertiva para o mercado nacional. Península de Setúbal e Alentejo são os alvos sob mira. Nesse sentido “temos vindo a alargar mais o nosso horizonte de oferta de serviços”, começou por revelar a O SETUBALENSE Nelson Compadrinho, Engenheiro Eletrotécnico de formação e Director de Engenharia e Compras da INTROSYS. Há cerca de um ano no cargo, mas na empresa desde o início do projecto, este responsável sublinha a importância que tem o distrito de Setúbal onde para além da Volkswagen/Autoeuropa já conta com clientes como a Vanpro, Tenneco e Schnelleck entre outras. Diz que o caminho para conquistar mais mercado nestas duas regiões passa, “não apenas pela automação industrial ligada ao sector automóvel, mas também por conseguimos adaptar os nossos serviços a qualquer empresa”.

 

Um dos destaques do último ano, no seio da INTROSYS, é o investimento de 1 milhão de euros para a criação do novo Centro de Inovação Digital (IDI Hub – Introsys Digital InnovationHub)

 

 

O core business da INTROSYS é a industria automóvel onde dá vida a linhas de produção robotizadas “mas a nossa experiência é muito vasta e rica, por isso não queremos apenas focar-nos em novas linhas de produção”, frisa Nelson Compadrinho. Para expandir horizontes a empresa apostou na investigação e desenvolvimento e acaba de criar um produto para responder a qualquer tipo de situação no campo da visão, designado por iSent. Um sistema adaptável de inspecção de qualidade para a indústria, que pode inclusivamente, ser integrado num robô industrial ou colaborativo. Com uma política de promoção muito forte está a gerar “grandes expectativas no mercado”.

 

Um dos destaques do último ano, no seio da INTROSYS, é sem dúvida o investimento de 1 milhão de euros para a construção do Centro de Inovação Digital, designado por IDI Hub. Nelson Compadrinho, diz que a ideia que esteve na base deste projecto “foi a de criar uma infraestrutura tecnológica representativa das tecnologias de inovação digital existente na região, para ter parceiros em contacto contínuo com tecnologias da indústria 4.0. A INTROSYS ou o fornecedor, se tiver algum cliente que tenha algum projecto, e não saiba exactamente o que fazer, pode trazê-lo à nossa empresa e nós podemos acompanhá-lo e apresentar as diversas soluções”.

A infraestrutura principal, a SmartFactory, trata-se, explica, “de uma pequena linha de montagem onde será produzido um brinde mas o interessante é que, como não nos cingimos a uma única marca, em cada uma das estações de trabalho vamos ter inúmeras tecnologias diferentes a interagirem entre si, estas podem ser aplicadas nas várias indústrias em Setúbal e Alentejo”.

Em termos de funcionamento “a nossa intenção, é potenciar os nossos quadros, por isso apenas 3 pessoas vão estar directamente alocadas a esta unidade que acreditamos irá potenciar mais o negócio através das demonstrações das várias tecnologias que existem na Indústria 4.0 e o que se pode fazer. Muitas vezes o cliente necessita de ver, experienciar para poder decidir depois. Este é um projecto no qual queremos envolver universidades e politécnicos em parcerias nas quais estamos a trabalhar”.

 

“Na hora do cliente decidir a quem entrega os seus projectos pesa a nosso favor o know-how na parte da robótica e automação que nos é reconhecido”

 

 

Este Centro de Inovação Digital vem complementar a já existente Training Academy – a Academia de Formação da INTROSYS, que surgiu da necessidade dos parceiros precisarem de formação “porque os avanços tecnológicos são uma constante. Em cada novo modelo, em cada nova linha de montagem, estão sempre a implementar-se tecnologias novas. Como temos muito know-how das tecnologias existe a capacidade de darmos essa formação contínua e actualizada”, explica este director.

 

 

Apesar da INTROSYS assumir uma posição de liderança de mercado, Nelson Compadrinho, confessa que “o caminho não é fácil. A concorrência vem, essencialmente, do estrangeiro porque mais de 90% dos nossos serviços vão para o mercado exterior. Na hora do cliente decidir a quem entrega os seus projectos pesa a nosso favor o know-how na parte da robótica e automação que nos é reconhecido”

Mas há outras razões para a boa reputação adquirida no mercado que fazem igualmente a diferença na hora de decidir. “Nunca tivemos medo de investir. No software, nas pessoas, na formação e nas estruturas. Vêm também em nós qualidade e capacidade de resposta rápida. Sabem, que mesmo em situações de recurso, nós conseguimos arranjar soluções sem descurar a qualidade”.

Nesta fase do ano o momento operacional tem o seu maior foco na “Volkswagen/Autoeuropa onde está a haver uma grande integração nas linhas para aumentar a produção de carros. O objectivo é conseguir produzir 45 carros por hora”.

 

Com 2019 a caminhar para o seu terminus, Nelson Compadrinho, para fazer um balanço, recua a 2018 porque os projectos da INTROSYS diluem-se num espaço temporal maior que um ano. “Podemos considerar o balanço como muito positivo. Para além dos projectos que mencionei há a destacar a aquisição de um novo cliente de peso. Falo da Mercedes, neste espaço que temos de trabalho com eles já recebemos comentários muito positivos por parte da marca alemã. Estamos também muito satisfeitos com a evolução do trabalho com a Autoeuropa, que ‘aperta’ muito connosco mas conseguimos responder com sucesso às suas solicitações. Em termos financeiros diria que foi um período de manutenção dos números que tínhamos”.

 

Por Luís Pestana

Comentários

- Pub -