“Todos nós sentimos que este pode ser o ano da subida de divisão”

19
visualizações

Expectativa e ambição são palavras de ordem no Centro Cultural e Desportivo dos Brejos de Azeitão que nesta época desportiva de 2019/2020 vai ser orientado por Lívio Semedo, treinador com larga experiência no futebol nacional e distrital.

 

- Pub -

 

O Brejos de Azeitão vai surgir na nova época desportiva com um novo treinador mas também com alguns jogadores do plantel anterior e outros que vêm reforçar a equipa.

As perspectivas são animadoras e no seio do plantel existe vontade de fazer uma grande temporada. Foi essa a ideia com que ficámos depois da conversa que tivemos com um dos capitães da equipa, João Vasco.

Estamos entusiasmados com a mudança de treinador. Novos métodos, novos conhecimentos são sempre bem-vindos. Tivemos uma pessoa muito forte a liderar-nos, uma pessoa que conhece o jogo como poucos e que sempre nos transmitiu a mensagem que era possível realizarmos o nosso sonho [subida de divisão]. Vamos levar muitos ensinamentos do Mister João Gomes para esta época. Juntando esses ensinamentos com aqueles que o Mister Lívio Semedo nos vai trazer, só temos a ganhar”, disse.

Por aquilo que já se conhece do plantel, tudo indica que o Brejos de Azeitão vai entrar no campeonato com uma equipa mais forte que nas épocas anteriores. João Vasco concorda em relação à época anterior mas coloca algumas dúvidas em relação a 2017/2018.

É difícil comparar. Nessa altura, tínhamos uma equipa muito forte, se não fosse as equipas que tinham chineses investir forte, tínhamos subido de forma tranquila, porque a qualidade dos jogadores e do futebol apresentado era muito elevada. Todos os jogadores sentiam-se bem com o modelo apresentado mas na fase final tivemos muito azar com a lesão grave de cinco jogadores que vinham a ser titulares e isso dificultou o processo. Para esta época, penso que, se tivermos o pensamento de jogo a jogo, conseguimos alcançar o nosso objectivo. Não temos medo de nenhuma equipa e entramos em campo só e apenas com um pensamento, a vitória. E, os jogadores que entram esta época vêm ajudar-nos seguramente”.

 

A mística do clube

Sobre o modelo competitivo que na época passada gerou alguma polémica, o capitão da equipa não tem dúvidas.

É preferível fazer apenas um grupo, ou seja, um campeonato corrido, onde todos jogos contra todos. A definição de campeão tem tudo a ver com a regularidade e um campeonato corrido é a forma mais justa de encontrarmos o campeão”.

O Brejos de Azeitão anda há alguns anos a tentar a subida à 1.ª Divisão e João Vasco não esconde o seu desejo.

Quem passa pelo Brejos de Azeitão, ano após ano, sente a mística do clube, e sente também que este clube já merecia disputar uma primeira divisão, mas se ainda não conseguiu, por alguma razão foi. Mas, todo o staff, equipa técnica e jogadores sentem que este pode ser o ano da subida, que tanto ambicionamos. Para mim era um sonho tornado realidade porque é um clube que amo”.

João Vasco, que joga no clube desde os nove anos, considera o Brejos de Azeitão um clube especial para si porque tem acompanhado toda a sua evolução.

Passei pela fase do pelado, onde não havia uma estrutura segura. Depois, a direcção conseguiu colocar um relvado sintético no campo de futebol 11 e a partir dessa altura passou a ser um clube mais respeitado no distrito. Nos meus dois anos de juniores lutámos sempre até à última jornada pela subida de divisão, infelizmente não conseguimos mas no ano seguinte isso foi conseguido e a partir daí passámos a ser um clube com mentalidade ganhadora”.

Sobre a sua fidelidade ao clube João Vasco confessa que nunca foi jogador de receber muitas propostas. “Recebi uma ou outra que rejeitei sempre prontamente por duas razões; uma, pela minha vida profissional, e a outra, porque tenho o sonho de pôr, com a ajuda dos meus colegas, este clube na 1.ª Divisão”.

Antes de concluir, o capitão da equipa aproveitou para dirigir uma palavra aos seus adeptos.

Gostava de pedir o apoio dos sócios e simpatizantes para que ao domingo à tarde façam o esforço de se deslocarem à Brejoeira, para nos apoiarem. E, se conseguirem ir aos jogos fora, ficamos muitos agradecidos”.

 

Comentários

- Pub -