Primeira Baja TT entre Santiago do Cacém e Grândola já pensa em internacionalização

80
visualizações
Fotografia de Inês Kellen

Prova realiza-se em Março e tem preocupações ao nível da sustentabilidade e o apoio dos autarcas da região, reforçado no evento de apresentação

 

- Pub -

De 6 a 8 de Março realiza-se a primeira Bajja TT ACP entre Santiago do Cacém e Grândola, prova de 250 quilómetros, metade dos quais em areia, a contar para o Campeonato Nacional de Todo o Terreno.

Na apresentação, na sede do Automóvel Club de Portugal, foram enumerados pelos responsáveis da prova, e também pelos autarcas locais, os principais objectivos do evento.

Carlos Barbosa, presidente do ACP, destacou que uma prova de “250 km em que metade é em areia é uma coisa que não existe em Portugal e dá um ‘cheirinho’ de deserto”. “Esta prova é o começo de algo que pode ser enorme nos próximos tempos”, acrescentou, dizendo que não se podia alongar mais sobre objectivos a longo prazo. No entanto, não escondeu o “desejo de crescer e internacional a prova”, inclusivamente chegar ao Mundial de Rali Raids.

Referiu no entanto, a importância da sustentabilidade da prova, em termos ambientais e de limpeza dos terrenos do litoral alentejano, dado o exemplo do Rally de Portugal, “considerado o evento desportivo mais limpo do mundo”.

Quem não faltou à apresentação da Baja foram os autarca dos dois concelhos por onde cerca de 100 pilotos vão testar as aptidões ao volante ou ao comando de motas, quads ou SSV.

Álvaro Beijinha, presidente da Câmara de Santiago do Cacém, referiu: “A prova vai ser um marco para região e importante numa estratégia de divulgação do município. Temos turismo, mas precisamos que não seja apenas durante o verão. Queremos projectar as chamadas épocas baixas e a Baja vai ser boa para economia local”.

Do lado de Grândola, o autarca António Jesus Mendes destacou as “preocupações com o ambiente”.

“Não tem sido fácil, porque queremos que o turismo seja sustentável e defender a nossa paisagem e o que a envolve. As primeiras dúvidas e preocupações foram neste sentido. Quisemos encontrar percursos que tornem a prova sustentável e creio que vai ser atractiva. Mas queremos aumentar o patamar e isso obriga-nos também a pensar”, frisou o presidente da Câmara Municipal de Grândola.

Orlando Romana, director de prova, explicou a prova em termos mais técnicos, destacando que é urgente e necessário evitar a “batota” e os reconhecimentos prévios, visto que é nos “percursos secretos” que está a essência do todo o terreno. Falou em ainda em acções de plantações de árvores, em que pilotos participarão, e em parcerias com empresas e escolas locais para reciclagem de plástico, pneus e colocação de ecopontos.

A primeira Baja TT ACP Santiago do Cacém/Grândola é uma prova que conta para o Campeonato Nacional e para a Taça de Portugal de TT. Existe ainda um extra campeonato de motas, quad e ssv.

As inscrições estão abertas até 21 de Fevereiro em www.bajattacp.pt.

Comentários

- Pub -