Três golos em Paços de Ferreira no primeiro êxito de Velázquez

45
visualizações

Éber Bessa, Zequinha e Berto foram os marcadores de serviço dos vitorianos, que aumentaram para oito pontos a distância para a ‘linha de água’

 

- Pub -

 

A 13.ª jornada da I Liga foi de felicidade para o Vitória FC, que foi domingo a Paços de Ferreira ganhar por 2-3, resultado que permite aos setubalenses subir na classificação onde contabiliza agora 16 pontos, o dobro para os lugares de descida, onde estão os nortenhos, adversário directo na luta pela permanência. Além de ter sido o primeiro êxito sob o comando de Julio Velázquez, os verdes e brancos conseguiram também alcançar o seu primeiro triunfo fora de portas na competição.

O brasileiro Éber Bessa adiantou os sadinos, aos 45+2 minutos, o francês Diaby, aos 51, e Hélder Ferreira, aos 55, conseguiram a reviravolta para os anfitriões, mas a última ‘palavra’ foi dos vitorianos, com tentos de Zequinha, aos 67, e Berto, aos 79, que materializaram em golos a ambição que o conjunto que viajou de Setúbal demonstrou num encontro onde soube ser perseverante, acabando recompensado pelos três pontos.

Os golos que o conjunto comandado por Julio Velázquez conseguiu fazer contrariaram uma tendência que a equipa tinha desde o início do campeonato, uma vez que os sadinos, que só somavam um golo fora, conseguiram ontem marcar três nos 90 minutos de uma partida em que os anfitriões até entraram melhor. Apesar de se terem acercado várias vezes da baliza de Makaridze, os pacenses não tiveram a pontaria afinada.

Mais perto de inaugurar o placar esteve o defesa Artur Jorge que, aos 30 minutos, após canto cobrado por Éber Bessa, cabeceou a centímetros do poste direito da baliza defendida por Ricardo Ribeiro. Antes do intervalo, já depois de Murilo  ter desperdiçado uma oportunidade na cara de Makaridze, o Vitória chegou ao 1-0. Um lançamento rápido fez Ghilas colocar a bola para o cruzamento de Berto, desviado por Zequinha na área, antes de Éber Bessa concluir. O árbitro, após indicação do vídeo-árbitro, validou o golo, colocando em festa os adeptos sadinos que assistiram ao jogo.

A ganhar por 1-0, o intervalo fez mal aos jogadores do Vitória, afinal os pacenses conseguiram no arranque do segundo tempo operar a reviravolta no placar. A reentrada forte dos castores materializou-se num livre de Murilo desviado pela cabeça de Diaby na área, para o 1-1, aos 51 minutos. Volvidos cinco minutos, Bruno Santos desviou um cruzamento de Luiz Carlos e a bola foi ter com Hélder Ferreira, que teve calma e pontaria para o 2-1, aos 56 minutos.

O Vitória não abanou com os golos sofridos num curto espaço de tempo e começou a carregar sobre a baliza adversária. Pouco depois de ter trocado Éber Bessa por Guedes, Julio Velázquez viu a equipa repor a igualdade. O recém-entrado dominou de costas para a baliza e serviu de primeira Zequinha, que, na cara do guardião Ricardo Ribeiro, rematou para o 2-2, aos 67 minutos.

O Paços procurou responder e dispôs de uma oportunidade soberana quando Pedrinho disparou ao ferro da baliza de Makaridze. Na baliza contrária, Berto foi mais eficaz que o adversário, uma vez que conseguiu marcar o 2-3 final. Já depois de o guarda-redes dos pacenses ter feito uma grande defesa  a um cabeceamento, Berto teve sucesso no remate que desferiu aos 79 minutos, que beneficiou ainda de um desvio de Bruno Santos.

Até ao apito final do árbitro António Nobre, o Vitória FC conseguiu segurar a vantagem que lhe permitiu somar três preciosos pontos. Na próxima jornada, a 14.ª, os setubalenses defrontam no Estádio do Bonfim, o Desportivo das Aves, actual último classificado do campeonato com seis pontos, menos dois que o Paços de Ferreira que ocupa a penúltima posição da tabela classificativa.

Troféus Golfinho Verde já foram entregues

As velhas glórias do Vitória, através do seu núcleo Valoris Fidelis Causa, distinguiram na noite de ontem, no Novotel de Setúbal, os vitorianos que marcam ou marcaram a vida do clube na Gala dos Troféus Golfinho Verde, iniciativa que se realizou pelo 14.º ano consecutivo. O ex-capitão e treinador Carlos Cardoso (prémio jogador histórico) e Nuno Pinto (prémio jogador actual), defesa que integra o plantel principal, estão entre os homenageados.

A lista de premiados incluiu ainda os nomes dos antigos jogadores Edmundo Silva (prémio prestígio) e António Aparício (mérito). José Martins (prémio honra), Giovanni Licciardello (prémio dedicação), José Miguel (fidelidade), Nicolau Tavares (personalidade), Eduardo Gaiveo (póstumo) também foram agraciados na ocasião. Na categoria entidades, a Kia Portugal também foi premiada. De salientar ainda que José António Duarte (funcionário administrativo) e Sandro Valente receberam diplomas de mérito.

Comentários

- Pub -