Vitorianos cada vez mais rendidos a Makaridze

26
visualizações

Equipa sadina já igualou as séries de 1998/99 e 1971/72, épocas em que também esteve seis jogos sem sofrer golos em casa no campeonato

 

- Pub -

 

Makaridze, guarda-redes do Vitória FC, consolida a cada jornada que passa o estatuto de grande figura da equipa em 2019/20. Anteontem, no Estádio do Bonfim, o georgiano voltou a ser decisivo na equipa ao rubricar uma excelente exibição no triunfo (1-0) sobre o Boavista, levando-o, pela quarta vez nas 10 partidas realizadas no campeonato, a ser distinguido por O Setubalense – Diário da Região como o melhor elemento em campo.

Apesar do reconhecimento que tem tido por parte da imprensa e dos adeptos, o guardião, de 29 anos, prefere dividir os créditos com os restantes companheiros de equipa. “Tivemos uma grande atitude. O segredo é o trabalho. Só isso, não há outra maneira. Não é só por mim que não estamos a sofrer golos. Estamos a defender bem”, disse à Sport TV após o êxito obtido sobre os axadrezados.

As excelentes exibições têm contribuindo para os elogios dos adeptos que puseram a circular “memes” [n.d.r.: a expressão é usada para se referir a qualquer informação que se torne viral nas redes sociais, sendo copiada ou imitada. Geralmente esses memes são imagens, vídeos ou gifs de conteúdo engraçado, e que acabam se espalhando na internet por meio das redes sociais ou fóruns] com o guarda-redes, que, na edição de ontem de A Bola, é apontado como estando referenciado pelo Sporting.

A coesão defensiva sublinhada por Makaridze é uma evidência no Vitória, que tem, a par do Boavista (ambos com seis golos sofridos), a terceira melhor defesa da I Liga, apenas superados pelos dois primeiros classificados: Benfica (três) e FC Porto (cinco). Outro dado que ilustra na perfeição a performance do sector mais recuado na prova é o facto de o clube estar a fazer do Bonfim uma verdadeira fortaleza, uma vez que a baliza, ao cabo de seis jogos, permanece inviolável.

O feito actual aconteceu apenas por três vezes na história do clube no escalão principal. Para encontrar uma coesão tão evidente nos jogos em casa é preciso recuar duas décadas. Em 1998/99, a equipa então treinada por Carlos Cardoso conseguiu nas jornadas 25, 27, 29, 31, 32 e 34 manter a baliza a zeros nos duelos realizados em Setúbal. A outra ocasião em que o Vitória também esteve seis jornadas consecutivas sem sofrer golos em casa foi sob o comando de José Maria Pedroto, em 1971/72, época em que nenhum adversário facturou no Bonfim nas rondas 17, 19, 21, 23, 25 e 27.

Com o triunfo frente a um, até então, imbatível Boavista, os setubalenses elevaram para sete (seis na Liga NOS e um na Taça da Liga), o número de jogos sem perder em casa e sem conceder qualquer tento. Aos dados referidos anteriormente acrescenta-se o facto de o Vitória, ainda sem qualquer tento encaixado no Bonfim, liderar neste momento um recorde europeu. Em todas as ligas do Velho Continente, os sadinos têm uma marca superior a FC Porto, Karabakh, Maccabi Tel Aviv e APOEL, equipas que também não sofreram em casa, na presente temporada.

Makaridze segue passos de Diego

A acompanhar de perto o trabalho de Makaridze e dos outros guarda-redes (Milton Raphael, João Valido e Josué Duverger) está Diego Silva, treinador de guarda-redes do Vitória que, tal como Meyong, permance no clube depois de terem integrado a equipa técnica liderada por Sandro Mendes. Diego, histórico guardião dos sadinos, tem desempenhado um papel crucial junto de Makaridze, contribuindo para o excelente momento de forma do georgiano.

Depois de se ter estreado com a camisola do Vitória no passado em Fevereiro do 2019, um ano e nove meses depois de ter realizado o seu último jogo na I Liga, Makaridze vive agora o seu melhor momento desde que chegou a Setúbal. O reforço de Janeiro dos sadinos, que não jogava no na prova desde 21 de Maio de 2017, dia em que tinha contribuído para o triunfo, 3-1, da sua equipa, o Moreirense, com o FC Porto, tem vindo a reforçar a confiança nos treinos com alguém que sabe bem o que representa ser guarda-redes da baliza vitoriana.

Numa mensagem publicada poucas horas depois do triunfo de anteontem sobre o Boavista, Diego, de 40 anos de idade, partilhou no seu Facebook o sentimento que tinha por ver o trabalho realizado dar frutos. “Impossível descrever a sensação que estou sentindo! Muito orgulho!”, disse o actual adjunto de Meyong, que em 2010/11 e 2011/12 rubricou excelentes temporadas ao serviço do Vitória, sendo decisivo em ambas para que o clube atingisse os seus objectivos.

Os elogios a Makaridze não ficaram por aqui, uma vez que na sala de imprensa do Estádio do Bonfim, o treinador interino Meyong também comentou a actuação do guarda-redes. “No futebol actual, para uma equipa ter um rendimento muito bom os guarda-redes são muito importantes: fazem muito a diferença. Antigamente eram os avançados, que faziam muitos golos. O Makaridze fez um grande jogo, mas não foi só ele. A equipa toda esteve muito bem”.

Meyong em Vila do Conde?

O Vitória joga sábado com o Rio Ave e ao que tudo indica, o treinador interino Meyong deverá comandar a equipa em Vila do Conde. O facto de faltarem menos de cinco dias para o duelo, poderá a fazer a direção adiar a apresentação do novo técnico para depois da próxima jornada, uma vez que o campeonato terá uma paragem a seguir.

A contribuir para a decisão está também o facto de a equipa, além das exibições positivas com o Santa Clara (1-1) e Boavista (1-0), ter somado quatro em seis pontos possíveis desde que o camaronês sucedeu de forma interina Sandro Mendes.

Questionado sobre se acalenta a esperança de estar no banco no próximo jogo, Meyong foi peremptório.[Risos]. Não é uma questão de esperança. Faço o que a direcção me manda. Pediu-me para fazer estes dois jogos e eu já fiz o meu trabalho. O resto é perguntarem à direcção. Como vocês, estou à espera para ver como vai ser. Tenho contrato com o clube”, lembrou.

Comentários

- Pub -