«Sou jogador do Vitória e estou muito feliz no clube»

26
visualizações

Defesa, de 25 anos, revela objectivo de ajudar a “fixar o Vitória numa posição confortável”

 

- Pub -

Artur Jorge ingressou no Vitória FC na temporada anterior e cedo conquistou os adeptos pela forma aguerrida como se apresenta em campo jornada a jornada. Aos 25 anos, o defesa-central formado no Sp. Braga não hesita em afirmar que tomou a decisão certa ao desvincular-se dos minhotos e assinar contrato com os sadinos, clube a que está vinculado até Junho de 2021.

“Na minha última época em Braga [2016/17] acabei depois de sair, por empréstimo, para o Steaua de Bucareste, da Roménia, que era um projecto de Liga dos Campeões. Depois dessa experiência, quando apareceu a oportunidade de vir para o Vitória, decidiu-se em conjunto que seria o melhor para mim. Não estou arrependido. Acho que tomei a melhor decisão. Sou jogador do Vitória e estou muito feliz no clube”.

Com 32 partidas oficiais pelos verdes e brancos [23 na época anterior e nove na actual] disse à Sport TV que os seus objectivos estão a ser cumpridos. “As intenções com que vim estão a ser concretizadas. Neste momento, tenho a certeza de que foi a decisão mais acertada. Já o ano passado terminei a época com um nível exibicional muito bom e conseguimos o nosso objectivo. Este ano começou também da melhor maneira possível. Não joguei na Covilhã, mas tenho o resto dos minutos todos da época. O meu objectivo é jogar sempre”.

Questionado sobre as metas colectivas do grupo de trabalho, Artur Jorge não hesita na hora de responder. “Temos de cimentar o nosso lugar, alcançar a permanência o mais rápido possível e afastar o que tem sido o cenário dos últimos anos. Queremos fixar o Vitória numa posição confortável e, com o avançar do campeonato, percebermos até onde podemos chegar. A ideia é viver um cenário um bocadinho diferente do que tem sido nos últimos anos em que a permanência só é alcançada já muito perto do fim do campeonato”.

O defesa, que se estreou na 1.ª Liga a 19 de Setembro de 2016 pela mão de José Peseiro no Sp. Braga [derrota dos minhotos por 3-1 com o Benfica], não esquece também as taças, objectivo que os sadinos nunca descuram. “Há também o objectivo de chegar longe nas Taças porque o Vitória tem essa tradição”, recorda, lembrando a forma séria como o Vitória encarou o duelo no domingo com Águias do Moradal, da 1.ª divisão distrital da AF Castelo Branco.

Na partida em que os sadinos ganharam por claros 0-5, Artur Jorge sublinha a importância de terem marcado cedo. “Aos 30 segundos fizemos o 1-0. Os jogadores e a equipa sentem um alívio porque ficam na frente do marcador. A partir daí, tudo é mais fácil. A gestão e o ritmo que impomos no jogo passa mais por nós. Nestes jogos é preferível chegar à vantagem o quanto antes possível. Ajuda a equipa de uma forma gigante”.

O central, que tem formado dupla no centro da defesa com o brasileiro Bruno Pirri, aludiu ao facto de o treinador Sandro Mendes ter mantido a exigência que sempre tem nos outros jogos. “O treinador é bastante exigente. É bom para a equipa porque em casos como o deste jogo da Taça não nos permite facilitar em nada. Obriga-nos a dar o nosso melhor em sermos melhores todos os dias”.

«Arranque positivo»

Instado no programa da Sport TV a fazer um balanço da época desportiva vitoriana, Artur Jorge foi peremprório. “Considero que o nosso arranque é positivo. Conseguimos entrar na fase de grupos da Taça da Liga [o defesa marcou o golo do triunfo 1-0 sobre o Moreirense], logo no primeiro jogo da temporada. No campeonato, só perdemos com o FC Porto e o Benfica, ambos a jogarmos fora de casa. Na Taça de Portugal, conseguimos agora passar à próxima fase”.

Sobre o desempenho do conjunto setubalense no campeonato, prova onde segue com sete pontos em sete jornadas, o central admite que há aspectos a melhorar. “Na Liga temos sete pontos. Há um jogo ou outro em que, de facto, podíamos ter marcado golo, mas seria muito mais preocupante se não criássemos oportunidades. Na análise que fazemos, principalmente dos jogos em casa, temos criado mas, por uma outra razão, não tem aparecido”, disse, frisando um ponto muito positivo da equipa. “É de realçar o facto de sofrermos poucos golos. O trabalho que temos feito ao mantermos a baliza inviolável em vários jogos [em cinco das sete jornadas realizadas]. É mérito de toda a equipa e deve ser destacado”.

 

Quarteto distribuiu autógrafos na Auchan

Em mais uma acção de aproximação à comunidade, os jogadores André Sousa, Léo Chão, Nuno Pinto e Kigi estiveram ontem de manhã na Auchan de Setúbal a distribuir autógrafos e a tirar fotografias com os adeptos vitorianos que estiveram naquela superfície comercial. À tarde, os quatro atletas juntaram-se ao restante plantel no Bonfim, estádio onde a equipa continuou a preparação da recepção de sábado, 18:00 horas, ao Marítimo, a contar para a 8.ª jornada do campeonato.

Contas do clube discutidas hoje em AG

O Pavilhão Antoine Velge é hoje, pelas 20:30 horas, palco de uma Assembleia-Geral ordinária para apresentação, discussão e votação do Relatório de Gestão e Contas de 2018. No ponto 2 da reunião magna, convocada pelo presidente da mesa da AG, Fernando Cardoso Ferreira, está prevista a discussão de assuntos não contidos na ordem de trabalhos.

Na convocatória publicada na edição de 14 de Outubro de O Setubalense – Diário da Região é lembrado que “nos termos do Art.º 35.º, n.º 2, se à hora de início da Assembleia não estiverem presentes a maioria absoluta dos sócios com direito a voto, a assembleia funcionará, meia hora depois (21:00), em segunda convocatória, seja qual for o número de sócios presentes.

Comentários

- Pub -