“Não quero que as minhas equipas tenham só bons jogadores, quero que sejam as melhores”

37
visualizações

“Para uma equipa subir de divisão não basta comprar jogadores. As pessoas têm que ter a consciência que no futebol tem que se dar tempo às coisas e haver organização”, alerta o novo técnico.

- Pub -

 

Nada fazia prever mas aconteceu. Ricardo Estrelado deixou de ser o treinador da equipa que passou agora a ser orientada por Edmundo Silva que estava sem clube depois de na época passada ter representado o Sesimbra.

 

A decisão que causou alguma estranheza foi tomada na terça-feira da semana passada e aconteceu na sequência da derrota sofrida com o Moitense na última jornada da Taça AF Setúbal. A administração da SAD insatisfeita com o resultado resolveu colocar um ponto final na ligação com Ricardo Estrelado e avançou para a contratação de Edmundo Silva que começou a trabalhar no dia seguinte.

 

Em declarações ao “Setubalense – Diário da Região” Edmundo Silva mostrou-se satisfeito por ter voltado ao activo, depois de uma curta paragem. “O que quero é dar seguimento ao meu trabalho, mostrar a minha qualidade e fazer ver às pessoas que não basta só comprar jogadores para subir de divisão”.

 

Edmundo Silva fez apenas dois ou três treinos, que não deram tempo para implementar as suas ideias e muito menos para dar o seu cunho pessoal à equipa que, desta vez em jogo a contar para a primeira jornada do campeonato derrotou precisamente o Moitense.

 

“As coisas correram bem mas o mérito é dos jogadores que demonstraram em campo que queriam ganhar. E é assim que têm de continuar porque desta forma tudo se torna mais fácil”, disse o treinador que respondeu desta forma quando o interrogámos sobre aquilo que lhe foi pedido pela administração em termos de objectivos.

 

“Toda a gente sabe que o objectivo do Oriental Dragon é andar sempre no topo da tabela, mas as pessoas também têm que ter a noção que não é só ir buscar jogadores. Uma equipa que quer subir de divisão tem que ter muito mais que isso. As pessoas têm que ter a consciência que no futebol tem que se dar tempo às coisas e tem que haver organização. Às vezes termos os melhores jogadores não chega, eu já lhes disse isso. Eu não quero que as minhas equipas tenham só bons jogadores mas sim que sejam as melhores, que é uma coisa completamente diferente, porque podemos ter os melhores jogadores mas não ter a melhor equipa e eu quero ter a melhor equipa”.

 

Tarefa não vai ser fácil

 

Falando da qualidade existente, o novo treinador do Oriental Dragon referiu que é sua intenção fazer uma avaliação ao plantel. “Eu estou a chegar e vou ter implementar as minhas ideias e sei que vou ter o benefício da dúvida por parte dos jogadores que não sabem qual é a minha maneira de trabalhar mas eu também vou dar o benefício da dúvida aos jogadores porque não os conheço todos. Portanto, diria que este é o início de uma caminhada em que temos de estar atentos e apalpar terreno para saber se a equipa tem necessidade de ser reforçada. Tenho a noção que se as coisas não correrem bem o primeiro a pagar serei eu”.

 

Em relação ao campeonato que agora começou, Edmundo Silva não tem dúvidas que “a tarefa não vai ser fácil porque há equipas muito boas neste campeonato. É o caso do Cova da Piedade que tem uma equipa muito forte, o Alcochetense que tem um plantel muito bom com grande parte dos jogadores que já vêm da época passada, o Sesimbra que este ano se reforçou bastante, o Comércio e Indústria que tem um treinador que conhece bem este campeonato. E, depois, outras equipas como o Vasco da Gama que são sempre uma incógnita. Estou convencido que irá haver neste campeonato uma boa meia dúzia de equipas capazes de lutar pelo título”.

Comentários

- Pub -