«Vamos mais uma vez contrariar quem nos põe no lote de candidatos à descida»

67
visualizações

Nuno Pinto acredita que Vitória não vai sofrer tanto em 2019/20 para atingir a permanência

 

- Pub -

 

A cumprir a sua quinta época no Vitória FC, o defesa Nuno Pinto, de 32 anos, é o jogador que está há mais tempo consecutivo na equipa. Depois de recuperar de um linfoma, que lhe tinha sido diagnosticado em Dezembro de 2018, o lateral-esquerdo segue agora um programa de treinos específico no Luso, localidade onde o plantel liderado por Sandro Mendes está a estagiar até ao próximo sábado.

Na hora de perspectivar a temporada que aí vem, Nuno Pinto mostra-se confiante. A contribuir para o optimistmo, o defesa salienta a qualidade dos reforços que se juntaram ao plantel que manteve a estrutura da época transacta. “Se chegaram cá é porque têm valor. Agora têm que trabalhar e ganhar o espaço deles”, vincou o atleta que soma mais de uma centena de partidas com a camisola vitoriana.

 

Depois de nas últimas duas épocas o Vitória apenas ter garantido a permanência próximo do final do campeonato, acredita que 2019/20 será uma temporada mais tranquila?

Temos todas as condições para isso e não apenas por termos mantido a maioria da estrutura e terem entrado poucos jogadores. Esperamos uma época mais tranquila que as últimas. Logo no início da época somos apontados como candidatos à descida, mas o certo é que nos conseguimos sempre safar, seja na última seja na penúltima jornada. Isso é o mais importante.

Pode ser uma vantagem para a equipa alguns adversários verem o Vitória como um clube que vai lutar pela manutenção?

Não. Entramos sempre com o pensamento de atingir os nossos objectivos. Este ano vamos mais uma vez contrariar quem nos põe no lote de candidatos à descida de divisão. Confio que será mais cedo do que nos últimos anos.

É uma vantagem o clube ter mantido a maioria do grupo da época passada?

É sempre uma vantagem manter o núcleo duro da equipa. Tivemos a sorte da maioria dos jogadores terem ficado. Quem chegar vai ser bem integrado e vai sentir o que é a família Vitória.

Que análise faz aos reforços que já estão a trabalhar no Luso?

Se chegaram cá é porque têm valor. Agora têm que trabalhar e ganhar o espaço deles.

Quem o vê nos treinos percebe que assume claramente o papel de um dos elementos mais bem-dispostos do plantel…

Sim, é também uma maneira de integrar quem chega de forma a sentirem-se mais à vontade. Sou brincalhão e é essa a minha maneira de ser, além disso sou o jogador que está há mais tempo no clube, vou para o meu quinto ano e já sei o que é a mística do Vitória. Habituei-me a amar este clube e os seus adeptos. Sinto-me na obrigação de passar esse sentimento a quem chega.

Depois do que passou nos últimos meses, devido à doença que foi diagnosticada e debelada, de que forma foi recebido pelos colegas quando se juntou ao grupo?

Fui recebido de braços abertos e com muito carinho, como sempre. Somos uma família e a receção que tive foi à igual àquela que se tem quando se recebe alguém de quem gostamos.

Como se sentiu no treino?

Os meus treinos não são programados diariamente, mas com um intervalo maior de tempo. Apesar de não ser tão intenso como o dos restantes colegas, senti-me bem. O trabalho tem de ser progressivo.

 

27 jogadores trabalham duro no Luso

No Centro de Estágios do Luso, no concelho da Mealhada, distrito de Aveiro, trabalham diariamente, desde sexta-feira, 27 jogadores (24 de campo e três guarda-redes). Entre eles estão os reforços Leandro Vilela (médio) e os avançados Carlinhos, Khalid Hachadi e Guedes. Destaque ainda para a presença de três elementos que na temporada anterior deram nas vistas na Liga Revelação pelos sub-23: Rodrigo Mathiola, Léo Chão e Amâncio.

Por integrar a convocatória de 23 jogadores da selecção portuguesa de sub-19 que participa no Campeonato da Europa do escalão que decorre de 14 a 17 de Julho, o guarda-redes João Valido não foi para estágio com a equipa. A acompanhar os guardiões Makaridze e Cristiano no Luso está Petterson Santos, jovem de 16 anos que na época anterior defendeu a baliza dos sub-17 setubalenses.

Entretanto, Sandro Mendes reservou para hoje o mesmo programa de ontem. O dia terá três sessões de trabalho. Logo pelas 07:00 horas a equipa desloca-se até Mealhada para uma corrida matinal no parque urbano da localidade. Às 11 horas, a equipa desloca-se ao Centro de Estágios do Luso para uma sessão que tem como objectivo melhorar os índices físicos. Finalmente, pelas 18 horas, num treino em que a bola terá uma presença maior, a equipa volta a trabalhar no relvado principal do Centro de Estágios.

 

Comentários

- Pub -