Santa Clara estragou Natal vitoriano

29
visualizações

No jogo que antecedeu o Natal, os adeptos do Vitória FC não tiveram os três pontos no sapatinho. Quem festejou após a partida da 14.ª jornada da I Liga foi o Santa Clara, equipa que, à quarta tentativa, conseguiu estrear-se a ganhar (0-2) em Setúbal numa partida que teve José Mourinho, ex-treinador do Manchester United, a assistir ao jogo no Estádio do Bonfim.

- Pub -

O iraquiano Osama Rashid, aos 15 minutos, de grande penalidade, e Fábio Cardoso, aos 49, fizeram os golos que garantiu aos insulares o quarto triunfo em sete jogos realizados fora de casa no campeonato, enquanto os vitorianos somaram o quarto desaire consecutivo (três o campeonato e um na Taça de Portugal).

Depois de terem jogado 120 minutos contra o Sporting de Braga na Taça de Portugal [derrota por 0-1 no prolongamento], os vitorianos, depois de uma primeira parte amorfa em que não remataram uma única vez à baliza contrária, só no segundo tempo conseguiram criar lances de perigo junto à baliza contrária. A eficácia, como já aconteceu noutras ocasiões, esteve longe de ser a desejada.

A equipa de Lito Vidigal, treinador que surpreendeu ao prescindir do habitual lateral-direito Mano e colocar o atacante Berto na posição, teve o ascendente no início da partida. Apesar do domínio territorial, os sadinos não conseguiram no primeiro tempo criar lances de perigo junto da baliza contrária.

O Santa Clara, que dispôs das melhores oportunidades de golo antes do intervalo, colocou-se em vantagem no marcador numa grande penalidade convertida por Osama Rashid, aos 15 minutos. Na origem do penálti esteve Fernando que rematou e viu Dankler cortar a bola com a mão.

A vencerem por 1-0, os açorianos aproveitaram todas as interrupções para quebrar o ritmo do encontro. Os sadinos enervaram-se com as pausas e foram perdendo discernimento nas acções que desenvolviam no jogo. Mais tranquilo, o Santa Clara foi a equipa que esteve mais perto de marcar ainda antes do intervalo. Osama Rashid (24 minutos) e Fernando (45+5) foram os protagonistas de lances que deixaram a defesa dos setubalenses em sobressalto.

Após o reatamento, já com Mano e Jhonder Cádiz em campo, o Vitória rematou pela primeira vez na partida e introduziu a bola na baliza através do ponta-de-lança venezuelano, que viu o tento anulado por fora de jogo, aos 48 minutos. O Santa Clara respondeu no minuto seguinte, mais uma vez de bola parada. Bruno Lamas cobrou um livre e Cristiano voltou a comprometer ao não segurar a bola. Oportuno na recarga, Fábio Cardoso aproveitou a o presente e limitou-se a empurrar para o 2-0 dos insulares.

Os sadinos não se deram por vencidos depois do golo sofrido e, num curto espaço de tempo, tiveram várias oportunidades flagrantes para marcar e reentrar na discussão do resultado. Aos 60, Rúben Micael rematou, à entrada da área, ao lado do poste direito, e, aos 63, Kaio quase fez autogolo. A melhor das ocasiões foi protagonizada por Allef, aos 64, que viu César, quando os adeptos já festejavam nas bancadas, evitar em cima da linha de golo o tento dos vitorianos.

Até ao apito final, o Vitória pressionou e procurou, sem a clarividência que se lhe pedia, chegar ao golo. O venezuelano Jhonder Cádiz, aos 68, e, mais tarde, o brasileiro Éber Bessa viram o guarda-redes Serginho travar remates perigosos que seguraram a vantagem de 0-2 que ditou o desaire dos setubalenses que regressam ao trabalho na quarta-feira à tarde para preparar o jogo de sexta-feira com o Braga, a contar para a Taça da Liga.

 

 

 

Lito Vidigal: «Faltou-nos equilíbrio emocional»

“[Faltou eficácia?] Sim. Podemos começar por aí. Tivemos mais oportunidades e o Santa Clara, que foi feliz na forma como chegou ao primeiro golo no penálti.

Sabíamos que ia ser difícil porque era o terceiro jogo em menos de uma semana que realizávamos. Não faltou atitude e entrega aos jogadores que foram sérios.

Faltou-nos discernimento e algum equilíbrio. Acima de tudo, tivemos uma boa postura. O resultado não foi o que queríamos. Faltou-nos equilíbrio emocional. Na segunda parte, jogámos mais com o querer e coração. Produzimos o suficiente para ter outro resultado. O mais importante é realçar a postura e entrega dos jogadores que continua a ser positiva.”

 

 

 

José Mourinho viu o ‘seu’ Vitória ao Bonfim

José Mourinho, ex-treinador dos ingleses do Manchester United, assistiu anteontem, nas bancadas do Estádio do Bonfim, ao encontro da 14.ª jornada da I Liga de futebol entre o seu Vitória e o Santa Clara, que os açorianos venceram por 0-2. O técnico, natural de Setúbal e sócio dos vitorianos desde o dia em que nasceu, esteve no estádio acompanhado pelo filho e pelo seu adjunto, Ricardo Formosinho. A presença de José Mourinho não passou despercebida aos espectadores setubalenses que acarinharam o seu conterrâneo no seu regresso a casa.

 

 

Comentários

- Pub -