Vítor Batista: ‘O Maior’ dá nome ao renovado campo da Canastra [Galeria de fotos]

1176
visualizações

Lendário futebolista setubalense é homenageado pela autarquia com nome num dos três novos campos recentemente renovados

 

- Pub -

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Vítor Baptista, figura incontornável da história do futebol português, foi homenageado pela autarquia. Conhecido como ‘O Maior’ ou ‘o rapaz do brinco’, o futebolista faleceu em 1999 e agora dá nome ao renovado campo da Cova da Canastra, inaugurado com a presença de representantes da autarquia, Vitória e Benfica e de Pedro Pauleta, em representação da FPF.

Começou a sua carreira no Bonfim em 1966/67 e rapidamente deu nas vistas, mudando-se para o Benfica em 1971/72. Jogador excêntrico dentro de campo, escreveu o seu nome nos pergaminhos do futebol português ao marcar o primeiro golo transmitido pela RTP e protagonizou várias histórias, como a vez em que perdeu um brinco num Benfica-Sporting e parou o ‘derby’ para o procurar. Pelos sadinos venceu a Taça de Portugal em 1967 e a Mini-Copa do Mundo em 1970, enquanto que pelos encarnados foi cinco vezes campeão nacional.

“Era ‘O Maior’, era especial e era o Vítor Baptista. O jogador de futebol que nasceu pobre, viveu rico e morreu sem nada. A memória que nos deixou é património ligado a Setúbal. No campo sabia sempre de onde partia e onde queria chegar. Fora dos estádios, perdia o sentido de orientação e tropeçava nas barreiras que ia encontrando pelo caminho. Partiu demasiado cedo”, recordou a presidente da autarquia. “O que fez dentro das quatros linhas fará dele um herói de todos aqueles que gostam do futebol. Com toda a justiça, damos o seu nome a este campo renovado”, disse Maria das Dores Meira, numa cerimónia em que marcaram também presenças os irmãos do antigo futebolista, Idaliano e Eduardo.

As intervenções no recinto custaram cerca de 380 mil euros, suportados pelo grupo espanhol Supera, ao abrigo do contrato assinado para a instalação do complexo desportivo junto à Praça de Portugal. Entre as melhorias, destaque para a pintura e renovação dos balneários, a colocação de vedação, a substituição de equipamentos e a instalação de um relvado sintético naquela que será a casa de São Domingos e O Sindicato.

O antigo avançado Pedro Pauleta elogiou a iniciativa e, embora não tenha acompanhado a carreira do antigo futebolista de Vitória e Benfica, reconhece a importância que este teve no país. “Acho que é uma justa homenagem ao Vítor Baptista, um grande jogador do futebol português. Não tive oportunidade de o ver jogar pessoalmente mas já vi muitas imagens e soube muitas histórias. É uma pessoa que todos conhecem no mundo do futebol e é uma satisfação enorme poder estar presente nesta inauguração. É uma homenagem merecida”, disse o director da Federação.

 

Vitória e Benfica falam em craque de milhões

Vítor Hugo Valente recordou um jogador irreverente que, hoje em dia, valeria milhões de euros. O presidente do Vitória diz que “é uma honra para o clube associar-se a estas comemorações” e elogiou o futebolista que viu jogar nas décadas de 60 e 70. “Ia dizer que foi um jogador enorme mas tenho de dizer que foi o maior, caso contrário o Vítor Baptista não me perdoava. Ficará sempre na nossa história e na história da cidade. Quanto valeria? É difícil de avaliar, mas seguramente valeria os grandes valores que hoje se praticam. Com a qualidade do Vítor Baptista, no futebol de português, seriam poucos os que se poderiam chegar ao pé dele”, garantiu o líder dos sadinos.

Já Domingos Almeida Lima, vice-presidente do Benfica, vai mais longe e assegura que ‘o menino do brinco’ teria lugar na equipa atual. “Os predestinados têm sempre um lugar nas melhores equipas. Se surgisse agora, Vítor Baptista não teria preço. Aliava uma capacidade física quase ultra-humana a uma capacidade técnica fantástica. Era um jogador de muitos milhões e, embora eu não seja o treinador, digo que seria um titular indiscutível”, disse o dirigente. “Esta homenagem é mais que merecida. É uma grande figura da cidade, do distrito, nacional e mundial. O Vítor Baptista ultrapassou fronteiras e deve ser um orgulho para todos os setubalenses”, acrescentou.

Comentários

- Pub -