Moradores do Pátio do Gelo pedem intervenção municipal

86
visualizações

Nuno Canta, presidente da Câmara, prometeu visitar o local depois de ter ouvido as reclamações dos munícipes

 

- Pub -

 

 

O perigo de derrocada de uma habitação, em avançado estado de degradação, no Pátio do Gelo, no Montijo, bem como a falta de condições de segurança e de limpeza no local, levou um grupo de seis moradores a confrontar o presidente da Câmara Municipal, Nuno Canta (PS), durante o período de intervenção do público na reunião de quarta-feira passada do executivo.

Além de reclamarem a intervenção da protecção civil e de questionarem o autarca se o espaço é domínio privado ou público, os munícipes queixaram-se ainda de uma situação que já não é virgem: durante as Festas de S. Pedro, o local é recorrentemente acedido por jovens que ali “urinam defecam e até se drogam”, além de manifestarem comportamentos agressivos para com os residentes, alertaram. Os moradores lamentaram o estado calamitoso em que o pátio ficou – as festas terminaram no passado dia 1 – e solicitaram que durante as festividades, de futuro, seja vedado o acesso ao local.

Nuno Canta explicou que o pátio é privado e que compete à Polícia de Segurança Pública actuar em conformidade, prometendo deslocar-se ao local brevemente.

A situação, bem como a de outros pátios na cidade, já havia sido abordada pelo vereador João Afonso (PSD), que defendeu que a autarquia deve proceder a uma requalificação urbanística deste tipo de espaços. O presidente da Câmara sublinhou que o município não pode realizar obra em propriedade privada, lembrando que a autarquia aprovou dois instrumentos (a Área de Reabilitação Urbana e a Operação de Reabilitação Urbana) que contemplam incentivos fiscais de monta para estimular os proprietários a recuperarem os edifícios e que a medida tem estado a resultar.

 

Reuniões online, festas na UNESCO e centro hospitalar

 

No período antes da ordem de trabalhos, a CDU, através do vereador Carlos Jorge de Almeida, solicitou que as reuniões de câmara passem a ser gravadas e transmitidas em directo online. “Esta seria a melhor forma de, em directo ou mais tarde, no canal do Youtube do município, os cidadãos terem acesso aos debates e à informação ‘na hora’ sobre assuntos do seu interesse”, sublinhou o autarca comunista. O socialista respondeu que a medida está “a ser estudada ao tempo” e acrescentou: “Havemos, porventura, de chegar a essa solução.”

O vereador da CDU questionou ainda o socialista sobre a candidatura à UNESCO para integração das Festas de Nossa Senhora da Atalaia como Património Cultural e Imaterial da Humanidade.

“Em 2013, os eleitos da Câmara Municipal de Montijo, por unanimidade, declararam as Festas de Nossa Senhora da Atalaia Património Imaterial do Município do Montijo”, recordou, sublinhando que foi então deliberado “desenvolver os procedimentos necessários para a inclusão da festa no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial”, além de ter sido assumido “o objectivo de apresentar uma candidatura à UNESCO”.

Nuno Canta admitiu que foram “desenvolvidos procedimentos” a nível nacional, para que se possa avançar para a UNESCO, admitindo que os serviços vão agora “rever” a situação.

Carlos Jorge de Almeida solicitou ainda esclarecimentos sobre a necessidade de funcionários no Centro Hospitalar Barreiro Montijo (CHBM). “Em Outubro de 2016, o CHBM teria falta de 55 médicos, 65 enfermeiros, 40 assistentes operacionais e 11 técnicos de diagnóstico”, recordou o comunista, com o presidente da autarquia a prometer que iria inteirar-se sobre os dados actuais e apresentar informação na próxima reunião.

Comentários

- Pub -