Adeptos vitorianos voltam a matar fome de bola no Bonfim

28
visualizações

A contar para o Torneio Internacional do Sado, clube faz dois jogos em 24 horas. Cova da Piedade (hoje, 20 horas) e Birmingham (amanhã, 18:00) são os adversários

 

- Pub -

 

Quase dois meses depois de terem assistido à derradeira jornada do campeonato 2018/19 (desaire 1-3 com Rio Ave), os adeptos do Vitória FC voltam hoje ver a sua equipa em acção no Estádio do Bonfim. A partir das 20 horas, os sadinos defrontam o vizinho Cova da Piedade, da II Liga, numa partida a contar para a 2.ª edição do Torneio Internacional do Sado.

Para saciar a fome de bola, os vitorianos vão ter dose dupla no seu estádio ao ter a oportunidade de assistir a dois duelos em 24 horas. Depois do conjunto do concelho de Almada, segue-se amanhã, a partir das 18 horas, o Birmingham City, emblema do segundo escalão do futebol inglês, que já ontem à noite defrontou o Cova da Piedade no jogo de estreia da prova triangular.

A maior curiosidade dos adeptos reside na expectativa em relação aos quatro reforços já oficializados pelo clube: o médio brasileiro Leandro Vilela (ex-Vitória da Bahia, Brasil) e os avançados Carlinhos (também de nacionalidade brasileira), emprestado pelos belgas do Standard Liège, o marroquino Khalid Hachadi (ex-Ol. Khouribga, Marrocos) e o português Guedes (ex-Al Dhafra, Emirados Árabes Unidos).

À excepção de Guedes, atacante que tem seguido um programa de treinos específico, todos os reforços já participaram no primeiro teste que os vitorianos realizaram na pré-época, ainda durante o estágio no Luso. No triunfo, por 4-0, sobre o Oliveira do Hospital, do Campeonato de Portugal os golos do encontro foram apontados por Tiago Casto (19 minutos), Berto (37), Éber Bessa (53) e Rodrigo Mathiola (85).

O médio Mathiola, que na última época esteve em evidência na Liga Revelação, é um dos jogadores oriundos dos sub-23 que está a trabalhar desde o arranque da pré-época às ordens de Sandro Mendes. Além do brasileiro, os avançados Léo Chão e Amâncio também procuram convencer o treinador de que merecem um lugar na equipa principal, onde vai estar o guarda-redes João Valido, que esteve ao serviço da selecção portuguesa de sub-19.

O médio André Pedrosa e avançado Alex Freitas, jogadores que continuam a seguir o plano de recuperação das lesões contraídas em Janeiro de 2018, respectivamente, uma rotura do ligamento cruzado anterior do joelho e a uma lesão no tendão de Aquiles, também estarão presentes no Bonfim, apesar de não poderem ainda actuar. Ausente estará também, por ainda não ter chegado da CAN, onde representou a selecção da Guiné-Bissau estará o avançado Mendy.

 

Quarta-feira há Assembleia Geral

 

O presidente da mesa da Assembleia Geral do Vitória, Fernando Cardoso Ferreira, convocou uma AG Comum Extraordinária para a próxima quarta-feira (17 de julho), pelas 20:30 horas, no Pavilhão Antoine Velge. O principal ponto da ordem de trabalhos prende-se com o seguinte: “informação aos sócios, pela direcção, das circunstâncias que elevaram à doação da Câmara Municipal de Setúbal ao Vitória FC da totalidade das acções detidas pela autarquia na SAD do clube”.

Entretanto, o Sindicato dos Jogadores visou a SAD do Vitória, acusando-a de “incumprimento com os planos de pagamento homologados judicialmente”. A reacção surge na sequência do Tribunal Judicial da Comarca de Setúbal ter homologado a 28 de Junho um terceiro Plano Especial de Revitalização (PER) aos sadinos, que, diz o Sindicato, foi votado contra pela esmagadora maioria dos credores, em especial os jogadores.

Em favor da verdade desportiva, o SJPF considera urgente impedir que situações como esta se repitam. “É preciso rever este modelo por respeito aos direitos fundamentais dos jogadores, ao princípio da igualdade que deve imperar entre competidores, e à própria integridade das competições”. Recorde-se que na segunda-feira, o Chaves apresentou um recurso ao Conselho de Justiça da FPF por alegadas falhas nos pressupostos financeiros apresentados pelo Vitória.

Sobre as acusações dos transmontanos, o Vitória manifestou em comunicado “total tranquilidade e confiança” em relação ao recurso apresentado pelo Chaves, que apelidam de “ataque vil” – ao Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol por alegadas irregularidades nos pressupostos financeiros apresentados pelos sadinos. “O Vitória sublinha que sempre cumpriu os regulamentos delineados pelas entidades competentes e procedeu à inscrição da sua equipa no principal escalão do futebol português seguindo os pressupostos exigidos”.

Segundo apurámos, a Comissão de Auditoria da Liga já terá respondido com um parecer reforçado com documentação adicional e mantendo a mesma decisão: ou seja, validando a inscrição dos setubalenses, que lembram que a atuação dos flavienses já foi seguida no passado por outros clubes que não conseguiram a permanência dentro do campo. “Semelhante prática já foi adotada, nas últimas três épocas, por clubes que, dada a incapacidade para alcançarem os seus objetivos dentro de campo, tentaram consegui-lo por outros meios, gerando apenas ruído, pois os resultados são os conhecidos”.

 

Comentários

- Pub -