“Disseram-me que era o fim de um ciclo e que o próximo treinador seria o Jorge Prazeres”

89
visualizações

Carlos Ribeiro já tinha dito aos jogadores que era sua intenção fazer uma pausa na carreira mas da direcção ninguém lhe perguntou se tinha interesse em continuar e na reunião que tiveram foi comunicada a decisão e o nome do novo treinador.

 

- Pub -

O Comércio e Indústria anunciou em comunicado a decisão de não renovar o vínculo contratual com o técnico Carlos Ribeiro para a época desportiva de 2019-20.

O clube manifestou “reconhecimento e gratidão pelo trabalho desenvolvido durante as duas temporadas transactas que culminou com a subida de divisão e a conquista do título de campeão da II Divisão Distrital”. Refere também que “no final de 2017-18 apesar de não ter sido atingido o objectivo proposto, de ascensão ao escalão superior, foi reiterada a confiança na equipa por si liderada completando-se agora uma etapa e um ciclo de relacionamento onde imperou o respeito recíproco e o apoio continuado”.

E a finalizar deseja felicidades ao mister e aos seus colaboradores. “Desejamos formalmente votos de sucessos e oportunidades cientes da partilha de consideração pelo engrandecimento da modalidade e do clube pelo qual sempre demonstrou estima e dedicação”.

Em relação à sua saída Carlos Ribeiro, disse ao Setubalense – Diário da Região que a situação se ficou a dever ao “desgaste entre a direcção e a equipa técnica, motivado pelas condições do relvado. Se calhar cansaram-se de ouvir dizer que não havia condições para trabalhar e pensaram que estávamos a arranjar desculpas para um possível fracasso”.

Em relação ao comunicado o técnico diz que não lhe parece desajustado. “Só não percebo porque fala do fracasso da época passada parece que estão a atribuir as culpas só para a equipa técnica. Uma vez que agora conseguimos o objectivo não havia necessidade de virem à carga falando da época anterior. Falam também no reforço da estrutura mas não houve reforço nenhum o que tivemos foi melhores jogadores”.

Carlos Ribeiro já tinha dito aos jogadores que muito provavelmente esta seria a sua última época porque tinha intenção de fazer uma pausa para descansar, mas nunca foi interrogado sobre isso.

“Fui chamado a uma reunião com os responsáveis do clube que me disseram que era o fim de um ciclo e que o próximo treinador seria o Jorge Prazeres. Isto quer dizer que quando me sentei à mesa a decisão já estava tomada. Para a equipa técnica não foi grande novidade porque a pessoa em questão já tinha aparecido algumas vezes a ver treinos e a acompanhar os nossos jogos. Não temos nada contra ele mas parece-me não ter sido a atitude mais correcta”, referiu.

A finalizar a nossa conversa Carlos Ribeiro fez questão de “desejar felicidades ao Comércio Indústria porque também me desejaram a mim e porque dificilmente haverá pessoas que gostem mais do clube que eu porque sou sócio, adepto e fui atleta do clube há 40 anos. Só conheço uma pessoa que gosta mais do Comércio que eu, o senhor Jaime, que tem 88 anos”.

Sobre o futuro o treinador não se mostra preocupado porque não está dependente do futebol. “A ideia passa por descansar mas se aparecer algum convite aliciante será um caso a considerar”, rematou.

Comentários

- Pub -