Jogos do Futuro mexem com o desporto do presente

37
visualizações

O Parque José Afonso, na Baixa da Banheira, recebeu a abertura do maior evento desportivo da região que, ao longo do fim-de-semana, colocou milhares de jovens em competição nos pavilhões de toda a península de Setúbal

- Pub -

 

 

Os Jogos do Futuro da Região de Setúbal terminaram ontem, sob a insígnia de preparar as novas gerações para os desafios do desporto, com uma prática que incide ao longo de toda a vida, independentemente da idade e condição física. Uma prática para a inclusão.

Um momento de fair play para 2 500 atletas de 25 modalidades. Desde o Andebol, ao Atletismo, Basquetebol, Boccia, Canoagem, Futebol de 11, Futebol de 9, Futebol de 7, Futebol de Praia, Futsal, Hip-Hop, Hóquei em Patins, Judo/Judo Adaptado, Karaté (Shotokan), Natação, Orientação, Patinagem Artística, Rugby, Surf Adaptado, Skate, Ténis, Ténis de Mesa /Ténis de Mesa em Cadeira de Rodas, Vela, Voleibol (Feminino) e Xadrez.

Os nove municípios de península de Setúbal receberam assim ao longo de três dias a 6ª edição dos Jogos do Futuro, com uma dinâmica que movimentou sociedade e economia, tendo a Moita como autarquia anfitriã do maior evento desportivo da região. Daniel Figueiredo, vice-presidente da Câmara Municipal da Moita e vereador responsável pela área do Desporto, destacou a importância desta união de modalidades e jovens, vindos de diferentes contextos, como “uma jornada desportiva para além da da competição” onde o principal objectivo “é a troca de experiências, de modo a que, independentemente da idade e das limitações, todos possam aceder à prática desportiva”.

Em entrevista a O SETUBALENSE-DIÁRIO DA REGIÃO, Daniel Figueiredo destacou mesmo a “forte e consequente parceria existente na Região de Setúbal entre o poder local e o movimento associativo, com vista à promoção de estilos de vida saudáveis e um alargamento da prática desportiva”, de modo a que esta seja cada vez mais “acessível e inclusiva”. Motivo pelo qual o tema escolhido para a edição deste ano teve como base o “Desporto ao Longo da Vida”.
Quanto aos desafios que a Moita, enquanto autarquia anfitriã do evento e município da península de Setúbal, tem superado com o objetivo de consolidar o desporto escolar enquanto pilar de inclusão, o vereador destaca a importância do acesso universal à prática desportiva desde os primeiros ano de vida, através da Educação Física, sendo na escola que “está o maior desafio”.

Para concretizar estes objetivos Daniel Figueiredo considera que, no concelho da Moita, ainda estão em falta alguns equipamentos, dos quais destaca “quatro pavilhões desportivos escolares, que a nosso entender também serviriam a comunidade nas horas não letivas, como de resto já acontece com três pavilhões mediante protocolo celebrado entre a Câmara Municipal da Moita e os respetivos agrupamentos escolares”.

 

Região de forte movimento associativo

 

A par do desporto escolar, também o papel do movimento associativo na organização dos Jogos do Futuro foi destacado por Rui Garcia, enquanto presidente da Associação de Municípios da Região de Setúbal.

No seu entender, “o trabalho desenvolvido pelas associações é fundamental e sem elas não existiria desporto com esta dinâmica”. Sendo o movimento associativo que muitas vezes concretiza “aquilo que começa a ser planeado dentro das autarquias”.

Comentários

- Pub -