PS cresce 6% nas Europeias no distrito

29
visualizações

Nas Europeias de 2014, no distrito de Setúbal, os socialistas foram a segunda força política mais votada. A 26 de Maio não só foram o partido com mais votos, como venceram em todos os concelhos da região, tendo ainda registado a maior subida comparativamente com os resultados nacionais

 

- Pub -

 

 

Nas eleições Europeias o PS venceu em todos os concelhos do distrito de Setúbal, tendo aumentado a sua votação em 6,03% comparativamente com o sufrágio homólogo referente a 2014, em foi a segunda força política mais votada, atrás do PCP-PEV.

Agora, a 26 de Maio, os socialistas venceram no distrito, tendo obtido 90 067 votos expressos, o que deu uma percentagem de 34,81 contra os 17,14% do PCP-PEV, dos 11,87% do BE e do PSD que se ficou pelos 10,33%.

“Importante voto de confiança” e “clara vitória”, nestas eleições para o Parlamento Europeu, é assim que a Federação do PS de Setúbal, liderada por António Mendes, olha para este resultado no distrito onde o partido revelou a “maior subida percentual”, comparativamente com os dados globais do país.

Numa perspectiva nacional, o partido considera que estes resultados têm ainda mais relevância por ser a segunda vez que consegue a vitória em Europeias enquanto se encontra simultaneamente no Governo, tendo a primeira ocorrido com o histórico Mário Soares.

Outra leitura de resultados permite ao PS afirmar que este “é o terceiro acto eleitoral consecutivo em que ganha no distrito Setúbal, depois das importantes vitórias nas Legislativas de 2015 e em seguida nas eleições Autárquicas de 2017”.

Vincado que os resultados na região significam “uma clara manifestação de apoio ao projeto político socialista e o reconhecimento do trabalho que vem sendo realizado, de forma séria e competente em benefício do País, quer ao nível central, quer ao nível local”, os socialistas não têm qualquer hesitação em apontar “clara derrota” da Direita nestas últimas eleições. E disto concluem que “os portugueses demonstraram de forma expressiva que não subscrevem o projeto de inspiração liberal”.

Mais do que isto, é uma “forte penalização da Direita é ainda reveladora duma consciência e maturidade política dos cidadãos, demonstrando o seu profundo desagrado pelas campanhas de desinformação e calúnia, sem ideias nem propostas, levadas a cabo pelo PSD e CDS-PP”.

A Federação do PS conclui que os portugueses “há muito abraçaram o projeto Europeu e estão interessados em debater as grandes questões europeias, de pleno direito. E é no Partido Socialista e no seu projeto, que voltaram a confiar para conduzir de forma determinada os interesses de Portugal junto dos nossos parceiros europeus”.

Comentários

- Pub -