“Estudar em Setúbal foi das melhores experiências que tive”

62
visualizações

Em entrevista, Andrew Luís Durães, fisioterapeuta da equipa de futsal do Sporting, fala sobre o seu percurso profissional e sobre a experiência que tem sido ser parte do clube de Alvalade

 

- Pub -

 

 

Andrew Luís Durães, de 28 anos, é o fisioterapeuta da equipa de futsal do Sporting Clube de Portugal. Quando a equipa venceu a UEFA Futsal Champions League, no final do mês de Abril, endereçou-lhe um especial agradecimento. O SETUBALENSE esteve à conversa com o fisioterapeuta do clube campeão europeu da modalidade de futsal, que estudou na Escola de Saúde do Instituto Politécnico de Setúbal e entretanto bateu asas para novos voos.

 

“O dia em que fomos campeões foi um daqueles dias que se ambiciona viver desde criança. Chegar a um grande palco, na maior competição de futsal, a nível de clubes, vencer, tocar e levantar um troféu de uma prova da UEFA. Isso era algo que apenas via na televisão enquanto crescia”, começa por dizer Andrew Luís Durães ao nosso jornal, acrescentando que é com o maior orgulho que vê o nome do Sporting na primeira edição da UEFA Futsal Champions League como primeiros vencedores desta taça e como a primeira equipa de futsal do SCP a ser campeã europeia. “O agradecimento a mim direccionado acredito que advenha do reconhecimento dos atletas perante a minha função, e de como os ajudo a obter os resultados que todos estabelecemos, sem esquecer o trabalho diário, a disponibilidade demonstrada e o entendimento que existe entre todos, numa equipa onde cada um tem o seu devido reconhecimento e importância”, considera o fisioterapeuta.

 

Fisioterapeuta leonino frisa gratidão à Escola de Saúde do IPS

Depois da escolaridade obrigatória feita, dada a sua paixão por desporto, e principalmente por futebol, Andrew decidiu candidatar-se para a licenciatura em Fisioterapia, na Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Setúbal, onde o sonho começou a tornar-se realidade. “Logo no primeiro ano da licenciatura, é comum os estudantes deslocarem-se a locais de intervenção de fisioterapia, e eu tive a sorte de poder visitar o Departamento de Futsal do Sporting Clube de Portugal, em 2008. Na altura o fisioterapeuta da equipa era o Pedro Estaço, que também é um diplomado da ESS/IPS”, conta, acrescentando que ficou “maravilhado” e  desejou “logo na altura, um dia poder estar naquele lugar”. No terceiro ano da licenciatura, teve a sua primeira experiência em contexto de intervenção numa equipa de futsal, na altura na equipa sénior d’Os Belenenses, com a orientação do fisioterapeuta André Viegas, diplomado da mesma casa. “Daí criaram-se excelentes relações, e no quarto ano pude aplicar o projecto final da licenciatura no seio da equipa de sub-20, com resultados positivos. A ESS/IPS foi, sem dúvida, essencial para a minha obtenção de competências, dadas as condições que me proporcionou. Sem as ligações que criei, não teria sido possível atingir o que já atingi até hoje, e por isso estou muito grato”. O fisioterapeuta refere ainda que “Setúbal foi a minha casa durante o período da licenciatura, onde passei momentos muito felizes, e cujas memórias carregarei até ao fim. Quando regresso a esses mesmos lugares, é como se as revivesse na íntegra. Foi mesmo das melhores experiências que tive”.

 

Da ESS/IPS ao Sporting

Depois de terminar a licenciatura, em 2014, começou a trabalhar na União Desportiva e Recreativa da Quinta do Conde. E, simultaneamente, trabalhou no Seixal Clube 1925. Em ambos os clubes assumiu desde cedo o papel de maior responsabilidade clínica. Em 2015, surgiu um convite do fisioterapeuta João Sagorro, que também estudou na ESS/IPS, que estava no Sporting Clube de Portugal na equipa sénior sob a tutela do fisioterapeuta Nuno Pinto, para assumir o acompanhamento da equipa de Sub-17, em 2015/16. Para Andrew, não era possível recusar o Sporting: “aceitei e integrei a estrutura a esse nível, tendo obtido resultados clínicos e desportivos muito positivos”. No final dessa época, João deixa uma vaga e é Andrew Luís Durães quem o substitui, para acompanhar a equipa sénior enquanto segundo fisioterapeuta a partir de 2016/17. “Seguiram-se duas épocas desportivas repletas de experiência e aprendizagem, com várias conquistas desportivas a nível nacional e as experiências a nível internacional”, recorda.

 

Mais recentemente, no início desta época, Nuno sai do clube e Andrew Luís Durães é o nome convidado para assumir o papel de fisioterapeuta principal, e coordenador, do Departamento de Futsal do Sporting Clube de Portugal. “Fiquei muito satisfeito com esta conquista e reconhecimento. Tinham-se volvidos dez anos desde a primeira vez que visitei Alvalade enquanto estudante do primeiro ano da licenciatura de fisioterapia, e tudo o que passei e vivi levou-me àquele momento”, declara. “Tenho a felicidade de estar a trabalhar com atletas de topo tanto a nível nacional como internacional, com vários campeões europeus a nível de seleções; uma equipa técnica altamente reconhecida a nível nacional e internacional; e uma estrutura directiva que apoia em todos os momentos, e garante que nada falta aos seus profissionais”, acrescenta, frisando que só “num ambiente de exigência máxima é possível atingir os objectivos a que nos propomos” e considerando que também por isso “hoje somos o clube campeão europeu da modalidade de futsal, após conquistarmos a UEFA Futsal Champions League no passado dia 28 de Abril”.

 

No que diz respeito a planos para o futuro, estes passam pela “consolidação do que já atingi, e de cimentar a minha posição na estrutura clínica do Sporting. Integro uma equipa multidisciplinar, e pretendo continuar a servir o Sporting Clube de Portugal e contribuir para mais glórias e conquistas, pois é disso que um clube grande vive”, sem nunca esquecer o desejo de um dia vir a abrir um espaço seu, dedicado à avaliação e reabilitação de atletas.

Comentários

- Pub -