Oficina do Bonfim reabre portas a 24 de Junho

17
visualizações

Jogadores do Vitória já estão de férias e já têm data marcada para o regresso

 

- Pub -

 

Após a partida de sábado com o Rio Ave, referente à derradeira jornada da I Liga, o Vitória FC deu por terminada a época actual e agendou para 24 de Junho o início da pré-temporada 2019/20. Dentro de cinco semanas, o plantel às ordens de Sandro Mendes apresenta-se no Estádio do Bonfim e dará início às habituais inspeções médicas.

Numa altura em que vários jogadores já começaram a regressar aos seus países de origem para gozarem férias, o timoneiro dos sadinos, de 42 anos, começou ontem, na Cidade do Futebol, a frequentar o curso de nível 3 de treinador, formação que terminará a 21 de Junho, três dias antes da abertura de portas da oficina do Bonfim.

Depois de nos dois anos anteriores, o estágio de pré-época ter decorrido em Espanha (Ayamonte em 2017 e Islantilla em 2018), a administração e a equipa técnica sadinas vão agora debruçar-se sobre possíveis locais para acolher os trabalhos da equipa antes do arranque oficial da temporada.

 

Sofrer quase até fim para selar objectivo

 

À semelhança do que tem acontecido na história recente, o Vitória esteve longe de ter uma época tranquila como comprova o facto de só ter assegurado a permanência na I Liga na penúltima jornada. O triunfo em Chaves, por 2-1, permitiu à equipa, ao contrário do ano anterior, evitar esperar pela derradeira ronda para saber qual o seu destino.

Numa época em que Sandro Mendes substituiu Lito Vidigal no cargo de treinador à 19.ª ronda, o desempenho da equipa foi ligeiramente melhor com Sandro. Apesar de ter somado menos pontos que o antecessor (17 contra 19), o ex-capitão conseguiu melhor média de pontos (1,06 contra 1,05) por ter dirigido a equipa em menos jornadas (16) que Lito Vidigal (18).

Não obstante o objetivo da permanência ter sido alcançado, as expectativas dos dirigentes sadinos passavam por realizar uma prova tranquila, o que não veio a acontecer, numa época muito marcada pela suspensão da carreira do defesa de Nuno Pinto, que em Dezembro revelou estar a lutar contra um linfoma, doença que revelou ter vencido em Março.

O penúltimo jogo de Nuno Pinto – a 08 de Dezembro, com o Benfica (derrota por 1-0), antes do regresso simbólico na derradeira jornada, actuando sete minutos – marcou o início de uma série de 15 jornadas dos sadinos sem vencerem [sete com Lito Vidigal, que nessa altura também viu a equipa ser afastada da Taça de Portugal e da Taça da Liga, e oito com Sandro Mendes].

 

De equipa sensação à aflição

 

Em jeito de balanço, o Vitória conseguiu pela positiva alcançar quatro triunfos importantes em cinco partidas, entre as jornadas sete e 11. Os 12 pontos somados possibilitaram a subida à sétima posição com 17 pontos, à 11.ª ronda, chegando a ser apontada na altura como equipa ‘sensação’. Na altura, nada fazia prever que os vitorianos teriam de sofrer quase atá ao fim para se salvarem da descida

A contrastar com o facto de o conjunto setubalense ter tido a sexta melhor defesa da competição, com 39 golos sofridos, esteve o rendimento ofensivo, uma vez que apenas marcou 28 golos, o terceiro pior ataque. O venezuelano Jhonder Cádiz, com nove tentos, foi o goleador da equipa, à frente dos colegas de ataque Mendy e Berto, ambos com quatro cada.

Em termos colectivos, a época vitoriana ficou marcada pelos incidentes registados no Estádio do Bonfim, na 32.ª jornada, diante do Boavista (derrota por 3-0), com três jogadores expulsos [José Semedo, Zequinha e Jhonder Cádiz] entre os 67 e 73 minutos pelo árbitro Fábio Veríssimo, que foi chamado de “carteiro” pelo presidente Vítor Hugo Valente que apelidou de “nojo” a actuação do juiz de Leiria e afirmou ter-se tratado de uma “encomenda”.

Em termos individuais, a decepção foi o guarda-redes Joel Pereira, que chegou a Setúbal cedido pelos ingleses do Manchester United. As nove partidas realizadas no campeonato não foram convincentes e o jogador deixou o Bonfim em Janeiro.

 

Bonfim foi oitavo nas assistências

 

O Vitória foi o oitavo clube que mais espectadores chamou ao seu estádio na I Liga 2018/19, mantendo a mesma posição da temporada transacta. Nas 17 jornadas realizadas em Setúbal no campeonato, os sadinos levaram ao Estádio do Bonfim 81.336. A média de assistência foi de 4.784 espectadores, que representa uma taxa de ocupação de 30,43%. Numa lista liderada por Benfica (média de 53.824), FC Porto (41.626) e Sporting (33.691), o Vitória terminou à frente do Chaves e atrás do Marítimo.

 

Comentários

- Pub -