«Queremos vencer para a festa ficar ainda mais bonita»

11
visualizações
O jogador Allef (C) do Vitória de Setúbal festeja o golo marcado frente ao Nacional durante o jogo a contar para o Grupo B da Taça da Liga Portuguesa de Futebol 2018/2019 disputado no Estádio da Madeira no Funchal, 16 de setembro de 2018. HOMEM DE GOUVEIA/LUSA

Allef quer presentear vitorianos com um triunfo amanhã (15:30) no Bonfim diante do Rio Ave

 

- Pub -

 

Depois do triunfo (1-2) alcançado na jornada anterior em Chaves, que assegurou a continuidade do Vitória FC no principal escalão do futebol português, a equipa quer agora dar uma alegria aos adeptos na partida que marca a despedida dos sadinos de 2018/19. Na recepção de amanhã ao Rio Ave, a partir das 15:30, os jogadores prometem aplicação máxima para conquistar os três pontos, garante Allef, avançado que apontou o primeiro golo do êxito sobre os transmontanos.

Após os festejos da permanência, como está a equipa a encarar o duelo do Bonfim com o Rio Ave?

Vai ser um jogo difícil. Já garantimos a nossa manutenção mas o nosso objectivo é sempre vencer. Na nossa casa, perante os nossos adeptos, queremos vencer para a festa ficar ainda mais bonita. Estamos a preparar-nos para vencer, dar o nosso melhor e deixar uma boa imagem em frente aos nossos adeptos.

Na jornada anterior, em Chaves, esteve em destaque ao marcar o primeiro golo do Vitória. De que forma viveu esse momento que arrumou de vez com as dúvidas em torno da permanência?

Fiquei muito feliz por ter feito o meu primeiro golo na Liga NOS e também por ter sido num jogo decisivo e muito importante para nós. Apareceu na hora certa. Foi uma das alegrias mais vívidas que tive desde que cheguei ao Vitória, uma vez que ajudou a garantir a manutenção do clube na I Liga.

Lembra-se do que lhe passou pela cabeça quando marcou?

Senti muita satisfação e emoção por tudo o que se passou esta época em que tive poucos minutos. No momento em que mais precisávamos aconteceu aquele golo.

Esta época marcou 11 golos pelos sub-23 na Liga Revelação. Foi uma competição importante para si?

Os sub-23 foram muito importantes. Fiz poucos minutos na equipa principal, mas o mais importante é nunca desistir porque a qualquer momento a oportunidade vai surgir e temos que nos mostrar para não passarmos despercebidos e provar que merecemos muito mais do que nos oferecem.

 

«O Vitória tem de pensar em objetivos mais ambiciosos»

 

Na temporada transacta, a permanência só foi garantida na derradeira jornada. Este ano foi um pouco mais tranquila por ter sido na penúltima. Sente que o grupo merece-o?

Sim. Merecíamos até já ter conseguido o objectivo antes. Lutámos muito para o conseguir. Não podemos pensar apenas na questão da manutenção. Pela história que o clube tem, o Vitória tem de pensar em objetivos mais ambiciosos. Com calma, o objectivo tem de ser sempre olhar mais para cima [na classificação]

Espera ter mais oportunidades em 2019/20. Poderá essa ser a época da sua afirmação?

Desde que cheguei aqui [2017/18] sempre disse que o meu objectivo era afirmar-me. Infelizmente, não tive muitas oportunidades, mas creio que na próxima época, continuando a dar o meu melhor, vou procurar agarrar as que tiver para me afirmar de uma vez por todas no futebol português.

Depois do triunfo de domingo em Chaves, a equipa foi recebida pelos adeptos já de madrugada no Estádio do Bonfim. O que achou desse momento?

Isso é o Vitória. Os vitorianos são apaixonados. Fiquei muito feliz por termos chegado e termos os adeptos à nossa espera. Ver que estão unidos e sonham juntamente connosco é uma satisfação enorme. Foi mesmo bonito chegar aqui e ser recebido por eles. O Vitória é emoção e são esses momentos que temos de guardar.

Qual o sonho que mais gostaria de concretizar?

Todos os jogadores têm o sonho de chegar à seleção A. O meu é poder um dia vestir a camisola amarelinha do Brasil. Quando saí de casa disse à minha mãe que daria tudo para realizar os nossos sonhos. O meu e da minha família, falando de futebol, é um dia vestir a camisa da selecção brasileira.

 

 

Capitão Vasco chega ao jogo 100 pelo Vitória

 

Vasco Fernandes, de 32 anos, prepara-se para atingir amanhã na partida com o Rio Ave a marca dos 100 jogos ao serviço dos vitorianos. O capitão, que cumpre a sua terceira época em Setúbal, tem o estatuto de jogador mais utilizado em 2018/19 por ter sido totalista nas 32 partidas no campeonato.

Frente aos vila-condenses, o treinador Sandro Mendes volta a contar com os contributos do médio José Semedo e dos avançados Berto e Jhonder Cádiz, trio que regressa após cumprir uma partida de castigo. De fora, além dos lesionados André Pedrosa e Alex Freitas, continua o extremo Zequinha, que cumpre o segundo de dois jogos de suspensão.

Entretanto, o técnico dos sadinos, Sandro Mendes, vai na próxima segunda-feira começar a frequentar o curso de 3.º nível de treinador na Cidade do Futebol. Durante um mês, o histórico capitão do Vitória, de 42 anos, vai concluir mais uma etapa da sua carreira para poder, logo que possível, inscrever-se no 4.º nível.

Com mais dois anos de contrato, o ex-diretor desportivo, que em Janeiro substituiu Lito Vidigal no comando técnico, pode sábado, em caso de triunfo sobre o Rio Ave, ultrapassar o número de pontos (19) que o seu antecessor somou em 18 jornadas. Se tiver êxito, Sandro Mendes totalizará 20 pontos em 16 partidas na I Liga.

Comentários

- Pub -