Trabalhadores tentam salvar Centro de Acolhimento Temporário

23
visualizações

Centro Social de Palmela aceitou suspender durante seis meses a decisão de encerrar a instituição. Funcionários disponibilizaram-se a doar parte dos subsídios de turno

 

- Pub -

 

O presidente do Centro Social de Palmela, Carlos de Sousa, aceitou a sugestão de um grupo de trabalhadores, que apresentaram um plano de viabilidade. O dirigente social revelou: “Iremos acompanhar o plano de forma a avaliar a situação financeira durante seis meses”.

Os trabalhadores confirmaram que as maiores despesas incidem no pessoal e nas refeições e disponibilizaram-se para “doar uma parte dos subsídios de turno”, adianta Carlos de Sousa, que acrescenta que “os trabalhadores sugeriram também a criação de uma campanha na comunidade e que seja também dirigida a empresas” para que “paguem uma mensalidade mensal simbólica”.

Entretanto continuam a decorrer iniciativas como a Bagageira Aberta, que se realizará uma vez por mês, aos sábados, com excepção de Agosto e Dezembro, onde as pessoas pagam de inscrição cinco euros para poderem vender ou trocar artigos em segunda mão. As Bagageiras Abertas estão agendadas para 18 de Maio, 22 de Junho, 20 de Julho, 21 de Setembro, 19 de Outubro e 23 de Novembro.

Mas a direcção em colaboração com os trabalhadores vão dinamizar iniciativas inseridas no Dia da Família e o primeiro irá englobar uma Caminhada Solidária, que se realiza no próximo sábado, dia 18 de Maio, a partir das 9h00 e que terminará com um churrasco.

Comentários

- Pub -