Amarsul reforça rede de ecopontos e sensibiliza para separação de recicláveis

37
visualizações

Criação de ‘ilhas ecológicas’ com a instalação de contentores nos vários municípios da Península de Setúbal e acções de sensibilização dão corpo a projecto

 

- Pub -

 

Aumentar e optimizar as quantidades de lixos recicláveis separados na origem é o objectivo de um projecto que Amarsul tem vindo, desde o final de 2018, a promover através de um reforço da sua rede de ecopontos, criando “ilhas ecológicas” próximas da população, e de acções de sensibilização como a que está a decorrer no Barreiro.

“A sensibilização arrancou no dia 15 de Abril, no município do Barreiro, após instalação de mais de 400 contentores para papel e cartão (tampa azul) e embalagens de plástico ou metal (tampa amarela), estando programadas cerca de 370 acções. Posteriormente, decorrerão nos restantes municípios da região, perfazendo um total de 2.990 acções”, revelou a empresa responsável pelo tratamento e valorização dos resíduos urbanos dos nove municípios da Península de Setúbal: Alcochete, Almada, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Seixal, Sesimbra e Setúbal.

A Amarsul está assim a promover “acções de sensibilização junto das ilhas ecológicas, onde equipas dedicadas esclarecem todas as dúvidas relativas à separação de resíduos recicláveis, ajudando os cidadãos a verificarem se os resíduos que estão a depositar nos contentores estão corretamente separados”. No final da acção de sensibilização “é disponibilizado um brinde”, adianta a empresa.

As referidas acções surgem no âmbito do projecto que a Amarsul tem vindo a desenvolver desde o final do ano passado, com o reforço da sua rede de ecopontos, “aproximando os contentores recicláveis da população”, no sentido de “tornar mais cómoda a separação e deposição” dos resíduos indicados.

“Em vários municípios, este reforço tem sido feito com contentores com capacidade para 1.100 litros (menores do que os ecopontos tradicionais, de 2.500 litros) criando ilhas ecológicas”, explica a empresa, sublinhando que este projecto, co-financiado pelo Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR), “visa aumentar e optimizar as quantidades de recicláveis separados na origem”.

A concluir, a Amarsul realça a importância de uma correcta separação de recicláveis pelos cidadãos, que significa um menor número de resíduos encaminhados para aterro. “Todos beneficiam: serão menos as toneladas de resíduos sujeitas a taxa de deposição paga pelos municípios e serão mais as quantidades recolhidas selectivamente pela Amarsul”.

A empresa valoriza anualmente 459 mil toneladas de resíduos, servindo cerca de 800 mil habitantes.

Comentários

- Pub -