Balouço da inclusão chega ao Parque da Cidade

24
visualizações

A Câmara Municipal do Barreiro mantém a sua aposta na inclusão através da educação e do igual acesso a equipamentos, por crianças e adultos

 

- Pub -

 

 

O Parque da Cidade, no Barreiro, tem agora um balouço adaptado a crianças e adultos com mobilidade reduzida. Uma conquista da Câmara Municipal e da Associação “Vem Vencer” alcançada no âmbito de um protocolo estabelecido em prol da inclusão, direccionados para crianças e adultos com mobilidade reduzida.

Para colocar este protocolo em marcha estão também a ser realizadas melhorias nas acessibilidades ao espaço público, como o rebaixamento de passeios e passadeiras. Assim como, alterações no edifício dos Paços do Concelho com a instalação de uma cadeira elevatória para acesso ao 1º piso.

O presidente da Câmara Municipal do Barreiro, Frederico Rosa, congratulou o concelho por mais esta conquista em prol da inclusão e recordou as dificuldades para a implementação deste balouço inovador. Os desafios não foram apenas “orçamentais”, mas também, devido ao facto deste tipo de brinquedo “não ser habitual”, destaca Frederico Rosa. Situação que colocou logo à partida um desafio a todos os fornecedores. Contudo o projecto acabou avançar, fruto de “um grande desejo, que acabou por ser muito superior às dificuldades”.

Na acessibilidade e mobilidade Frederico Rosa comenta ainda que este não é um projeto isolado, uma vez que a CMB tem vindo a apostar na criação de edifícios mais acessíveis e continua a realizar obras para o rebaixamento de passeios e passadeiras, com guias para invisuais. “Tivemos vários cidadãos que sem terem filhos com essas necessidades, nos foram fazendo alertas, o que veio fortalecer a nossa convicção de que o caminho é este”.

 

Projecto educativo desafiante

 

Na instalação deste balouço a vereadora Sara Ferreira, responsável pelo pelouro da Educação comentou que o desafio maior que vem pela frente será a nível educativo. “Só trabalhando com os mais novos, desde o pré-escolar, é possível mudar mentalidades e hábitos”. E, “se não explicarmos aos pequeninos que este balouço é para crianças com mobilidade reduzida, os mais velhos não vão perceber que não o devem utilizar, que se vai degradar e não vai permitir o uso a quem dele realmente necessita”, alertou.

Precisamente com o objectivo de alcançar a verdadeira inclusão através da educação, Sara Ferreira apresenta ainda a escolha da Câmara Municipal no tema central do projeto educativo deste ano, “A Igualdade de Oportunidades e Inclusão para Todos(as)”.

Comentários

- Pub -