Vitória dá réplica na Luz mas não impede triunfo das águias

13
visualizações

Nuno Valente e Jhonder Cádiz marcaram os golos dos setubalenses

 

- Pub -

O Vitória FC perdeu este domingo, por 4-2, no Estádio da Luz, com o Benfica, na partida que encerrou a 29.ª jornada da I Liga. Apesar da boa imagem deixada em Lisboa, os sadinos não tiveram argumentos para travar o líder da prova, que ao intervalo vencia por 2-1. Nuno Valente e Jhonder Cádiz fizeram os golos dos setubalense, enquanto Rafa (bisou), João Félix e Seferovic marcaram para as águias.

A estratégia dos comandados de Sandro Mendes de tentarem adiar ao máximo o golo das águias caiu por terra logo aos dois minutos, momento em que Rafa Silva, após assistência de João Félix no flanco direito, rematou de calcanhar no interior da área para o 1-0, não dando hipóteses de defesa a Makaridze, que viu a bola embate no poste esquerdo antes de entra na baliza.

Já depois de o Vitória ter tentado a sua sorte num remate ao lado de Jhonder Cádiz, aos seis minutos, os benfiquistas voltaram a ameaçar num remate de Rúben Dias que foi travado com facilidade pelo guardião georgiano. Aos 29 minutos, Makaridze ganhou maior protagonismo quando travou uma grande penalidade de Pizzi, assinalada para castigar uma mão na área de Rúben Micael.

Mais pressionantes, os anfitriões colocavam em sobressalto a defesa vitoriana que, aos 36 minutos, ampliaram para 2-0 o marcador por Rafa Silva. Tal como no lance do primeiro golo, João Félix, que aproveitou uma falha do capitão Vasco Fernandes, assistiu o extremo das águias, que fez o seu 12.º golo no campeonato.

O Vitória não se deu por vencido e reentrou na discussão do resultado, aos 39 minutos, quando Nuno Valente reduziu para 2-1. O tento foi construído por Berto que, depois de passar a bola por debaixo das pernas de Ferro, assistiu Rúben Micael que por sua vez colocou a bola em Nuno Valente que rematou colocado para o golo, que reduziu para a vantagem mínima a vantagem dos lisboetas antes do intervalo.

No segundo tempo, os anfitriões voltaram a festejar novo golo, desta vez João Félix passou de assistente dos dois primeiros golos para marcador do terceiro. Florentino intercetou um passe de Vasco Fernandes e colocou a bola em Pizzi que cruzou para a zona frontal da área onde surgiu João Félix para rematar para o 3-1, aos 56 minutos.

Mais uma vez, mérito para o Vitória que não atirou a toalha ao chão e quase voltou a marcar aos 63 minutos num remate cruzado, colocado e cheio de intenção de Berto, que só não festejou frente à equipa onde fez parte da sua formação devido a uma defesa extraordinárias de Vlachodimos.

No minuto seguinte, Sandro Mendes lançou em campo Zequinha e Sekgota, prescindindo de Berto e Nuno Valente, respectivamente. Aos 73 minutos, o Vitória, num remate de fora da área de Éber Bessa, obrigou o guarda-redes das águias a uma defesa atenta. Aos 77 minutos, a equipa da Luz, estádio onde estiveram 56.463 espectadores, chegaram ao 4-1 por Seferovic. O lance deixou algumas dúvidas, uma vez que o avançado suíço parece ter dominado a bola de forma irregular com a mão.

Aos 88 minutos, o Vitória voltou a marcar na conversão de uma grande penalidade – o venezuelano Jhonder Cádiz marcou com grande classe –, que castigou uma falta cometida por Rúben Dias sobre Vasco Fernandes. Antes de apontar para a marca dos 11 metros o árbitro Rui Costa consultou o VAR e não teve dúvidas em considerar a mão do benfiquista na cara do jogador sadino.

Após esta derrota, por 4-2, os sadinos, que vinham de dois triunfos consecutivos (1-0 ao Feirense e Marítimo), seguem agora na 13.ª posição, com 31 pontos, seguindo com quatro de vantagem sobre os lugares de despromoção. Sexta-feira, o Vitória defronta, no Estádio do Bonfim, o Portimonense.

 

Sub-23 empatam em Guimarães

A equipa de Sub-23 do Vitória foi no sábado ao reduto do homónimo de Guimarães empatar (2-2), em jogo a contar para a 9.ª jornada do play-out de despromoção da Liga Revelação. Os golos dos sadinos, que seguem na liderança da competição a par dos vimaranenses (ambos com 32 pontos), foram apontados por Léo Chão e Amâncio. O treinador Chiquinho Conde alinhou com o seguinte onze: Milton Rafael, Modesto, Yang, Canadas, Rodrigo Antunes,
Lobo, Léo Chão, Amâncio, Sandro, Embaló Sory e Valdu. Pedro Santos, João Tomás, Matiola e Bernardo também foram utilizados.

Comentários

- Pub -