Caparica Surf Fest entra numa nova era

130
visualizações

O Caparica Surf Fest arrancou hoje e, até 20 de Abril, promete dar mais vida à cidade da Costa da Caparica, tanto no mar como em terra. Este ano os concertos são à borla e o modelo de competição de surf subiu a QS 3000 e traz os melhores atletas

 

- Pub -

 

Começou hoje o Caparica Surf Fest. É a 5.ªedição de muita música, surf e skate que vai agitar a Costa da Caparica até 20 de Abril e a estreia de um evento que foi remodelado para todos poderem estar, divertir-se e praticar desportos de mar. “Vai ser diferente dos outros anos”, diz José Ricardo, presidente da Junta de Freguesia da Costa da Caparica.

E foi isso mesmo que disse a presidente da Câmara de Almada quando ontem lançou a apresentação de um festival que chegou a dizer-se que não se realizava este ano. Inês de Medeiros ironizou e avançou que, de facto, o modelo antigo do Caparica Surf Fest acabou. “Ouviram-se vozes da desgraça que diziam que este festival não ia continuar. Não só vai continuar como será um desafio maior”.

“Upgrade” foi a expressão mais utilizada para o novo modelo de um Caparica Surf Fest que vai sair de dentro de uma tenda e passa para o centro da cidade da Costa da Caparica, o que faz com que os concertos sejam gratuitos. Diferente vai ser também do lado do mar com mais e melhor surf, em que a grande novidade é a subida de estatuto da prova masculina do circuito que passa a qualificação QS 3000, tantos quantos os pontos a atribuir ao vencedor o que faz com as ondas da Praia do Paraíso recebam surfistas que já estiveram no circuito mundial, entre eles o português Frederico Morais, o brasileiro Alex Ribeiro, o norte-americano Nat Young, o havaiano Keanu Asing, o espanhol Aritz Aranburu e o australiano Ethan Ewing.

“É um grande desafio trazer maior profissionalismo à competição”, disse Inês de Medeiros. E mais do que uma vez afirmou que Portugal e, particularmente, a Costa da Caparica, “é um dos maiores spots de surf mundial”.

A presidente da Câmara de Almada anunciou ainda que o destino deste festival é ser “cada vez maior”, e acrescentou que esta é uma estratégia a aplicar a todo o concelho.

A parceria com várias entidades foi também firmada pelo vereador da Cultura e Desporto, João Couvaneiro, para levar este evento a subir uns degraus, entre elas o desafio feito à World Surf League (WSL) para dar mais força a esta edição que, para além dos melhores, espera reunir mais de três centenas de surfistas.

O vereador responsável pelo pelouro que dinamiza este evento de competição ao nível mundial, assumiu também a responsabilidade de ter um QS 3000 nas ondas do concelho, mas acrescenta que “o grande objectivo é fazer ainda mais. Ter ainda maior responsabilidade e tornar a Costa da Caparica um spot de excelência Mundial.

Sobre os concertos, João Couvaneiro destacou as duas noites de sexta-feira e sábado dentro da programação com dois grandes concertos. Importante, para o vereador é a dinamização que o Caparica Surf Fest vai trazer ao comércio local e restauração que foram “desafiados” a aderir ao festival.

Quem já disse que vai entra na onda do Caparica Surf Feste foram os pescadores que hoje, logo às 8 horas da manhã, vão fazer uma demonstração de Arte Xávega. Não foi revelado se outras estão previstas.

Uma das parcerias do festival é com a MEO, que revelou que este ano vai introduzir um novo modelo às demonstrações e competição em skate.

Entre os vários surfistas que estiveram presentes na divulgação do programa do Caparica Surf Fest, esteve o vice-presidente da Federação Portuguesa de Surf, Artur Ferreira, que confirmou que a nova dimensão do festival, que continua a contar com os clubes locais, é “responsável por atrair grandes nomes do surf” à Costa da Caparica, e no mesmo sentido foi a interpretação de Francisco Spínola, representante nacional do WSL, que garantiu que o desafio lançado por João Couvaneiro está decidido e “para o ano teremos novo upgrade do festival”, garantiu.

Comentários

- Pub -