“Clube tem muito respeito pelos árbitros mas chegou a altura de dizer basta”

20
visualizações

O Moitense deslocou-se no passado domingo a Santiago do Cacém onde defrontou a equipa local em jogo a contar para a 23.ª jornada do Campeonato Distrital da 1.ª Divisão e regressou a casa descontente porque embora tenha feito uma exibição bastante positiva acabou por perder com um golo sofrido de penalti num lance muito contestado.

- Pub -

João Soeiro, presidente do clube, explicou o que na verdade se passou e aproveitou para falar também de outras questões relacionadas com as arbitragens, que têm prejudicado o Moitense.

Antes de mais há que dizer que se tratou de um excelente jogo de futebol e que a arbitragem estava a ser uma das melhores que vi fazer esta época. O árbitro deixava jogar e não ia na conversa dos jogadores quando o tentavam ludibriar mas aos 75 minutos teve uma decisão que nos prejudicou. Estou a falar de um lance em que o nosso guarda-redes socou a bola, que ia na sua direcção, com as duas mãos, dentro da área, foi abalroado por um adversário, caíram ambos e para espanto geral (como se pode ver na plataforma My Cujoo) o árbitro assinalou penalti contra o Moitense, que originou a derrota”.

O presidente do Moitense vai ainda mais longe. “Isto não é a primeira vez que acontece. O Moitense já fez chegar ao Conselho de Arbitragem uma exposição a queixar-se da facilidade com que têm sido assinalados penaltis duvidosos e até inexistentes contra o clube e a facilidade em que não têm sido assinalados penaltis claríssimos a seu favor”.

E, continuando citou apenas um exemplo. “Esta época, contra um determinado adversário, no conjunto dos dois jogos, perdemos por 5-4 e sofrendo três penaltis. Num deles, o resultado foi 3-3 e só nesse jogo sofremos dois penaltis, sendo um deles aos 98 minutos. E outros casos aconteceram, com influência directa no resultado”.

João Soeiro diz que “se isso não tivesse acontecido podíamos estar melhor classificados. Nas reuniões que temos tido na AF Setúbal ouvimos muita gente justificar os seus inêxitos com as arbitragens. Nós, não somos queixinhas nem temos essa postura, somos um clube que tem muito respeito pelos árbitros, a quem damos bom trato, compreensão e tolerância, mas chega a um ponto que temos que dizer basta. Espero que este domingo com o Grandolense o árbitro não nos beneficie mas também não nos prejudique”.

Comentários

- Pub -