Caminhos de Santiago vão ser oferta turística estruturada a partir de Julho

47
visualizações

Os 1.300 quilómetros que ligam a Santiago de Compostela vão estar assinalados na região muito em breve. Turismo do Alentejo aponta ao turista “com mais de 60 anos, que vai dormir nos hotéis e comer nos melhores restaurantes”

- Pub -

 

Os percursos dos Caminhos de Santiago no território da Entidade de Turismo do Alentejo e Ribatejo (ERTAR), que inclui o Litoral Alentejano, no distrito de Setúbal, vão estar completamente assinalados “até Julho” deste ano, revelou no sábado o presidente desta entidade, António Ceia da Silva.

Segundo o mesmo responsável, a conclusão dos trabalhos de sinalização destes percursos, que estrutura a oferta como produto turístico, vai permitir à região aproveitar melhor este segmento.

A aposta dirige-se aos “turistas, com mais de 60 anos, que têm poder de compra e não ficam [alojados] nas misericórdias e nos bombeiros”, disse Ceia da Silva. O presidente do Turismo do Alentejo sublinha que este turista “dorme nos hotéis e come nos melhores restaurantes” pelo que, conclui, este investimento vai “mudar a face do turismo na região”.

Ceia da Silva, que falava na inauguração do renovado Museu Municipal Pedro Nunes, em Alcácer do Sal (ver páginas 4 e 5), apontou por isso a necessidade de os municípios do Alentejo apostarem na recuperação do património e na valorização urbana e paisagística.

“Dai a importância de muitos museus Pedro Nunes, porque não basta atrair e captar turistas, é preciso depois fixa-los”, afirmou.

 

Turismo no Alentejo cresceu 20% em Janeiro

O turismo no Alentejo continua em acelerado ritmo de crescimento, tendo registado uma subida de 20 por cento, em Janeiro deste ano, no segmento de turistas do mercado interno, anunciou o presidente da ERTAR. E acrescentou que “Alcácer do Sal foi dos concelhos que mais cresceu”.

A região do Alentejo e Ribatejo foi a que registou maior crescimento no turismo nos últimos oito anos, período em que este foi também o sector que maior crescimento económico obteve em Portugal.

A tendência regional continua a ser de aumento da procura, do número de turistas, um pouco em contraciclo com outras regiões do país que já sofrem quebras decorrentes do regresso à concorrência de destinos estrangeiros que estiveram afectados por guerras e conflitos.

O turismo no Egipto está a recuperar fortemente, disputando 10 milhões de potenciais visitantes com Portugal, exemplificou Ceia da Silva, alertando para a importância da estratégia nesta batalha com outras regiões do país e do mundo.

“O Alentejo é apontado por jornais e revistas de referência no mundo como a nova Toscania”, frisou o responsável lembrando que ainda há pouco tempo o Alentejo era a região das anedotas.

Ceia da Silva aponta a aposta na certificação, na excelência e na valorização da identidade que a Entidade de Turismo tem vindo a fazer, por exemplo com os cinco “selos” da Unesco já conquistado, como a estratégia certa para colocar o Alentejo no mapa mundial dos destinos turísticos.

Comentários

- Pub -