Alcácer do Sal reabre Museu Pedro Nunes [galeria de fotos]

96
visualizações

Museu mais antigo do distrito foi completamente renovado e reforça a oferta turística da cidade que conta 2.700 anos de história de mão dada com o Sado. Festa de inauguração juntou muitas centenas de pessoas e incluiu tenda gigante na praça principal 

- Pub -

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Alcácer do sal inaugurou no Sábado o renovado Museu Municipal Pedro Nunes, com uma festa que incluiu uma tenda gigante na praça principal da cidade e que atraiu muitas centenas de pessoas entre convidados e população.

Após obras de reabilitação do espaço, a Igreja do Espírito Santo, e de instalação de moderno equipamento museológico, o museu municipal, que esteva encerrado desde 2007, reabre porta para dar mais força turismo no concelho, revigorar a identidade local e facilitar o acesso e a transmissão de conhecimento, como referiu o presidente da Câmara Municipal.

Vítor Proença considerou tratar-se de um dia “muito especial para Alcácer do Sal” e de uma inauguração de “grande simbolismo” porque a recuperação do Museu Pedro Nunes era “um desejo antigo de muitas pessoas”.

O autarca sublinhou que nunca prometeu fazer esta obra, que custou mais de um milhão de euros, financiados pelo município em 15% e por fundos comunitários em 85%, e que envolveu muitas pessoas desde a fase de projecto à concretização, passando pela candidatura ao Portugal 2020.

Entre os muitos agradecimentos feitos pelo autarca, arrancaram maiores aplausos os dirigidos a Marisol Ferreira, arquitecta coordenadora do gabinete de Arqueologia da Câmara, e aos familiares dos antigo responsáveis pelo museu, João Telles Antunes, Fernando Gomes e João Carlos Faria.

Vítor Proença, considera que o renovado museu vai contribuir para o aumento do turismo no concelho. “Passamos a ter duas ofertas de grande valor cultural no país, o museu e a Cripta Arqueológica, na base da Pousada D. Afonso II e de um valor incalculável”, realça o autarca, destacando ainda a importância para o conhecimento, ao serviço sobretudo dos mais novos mas não só.

O museu, que ostenta o nome do matemático Pedro Nunes, nascido em 1502, em Alcácer do Sal, está localizado na Praça do Município, junto ao rio Sado, antigo porto estratégico para as trocas comerciais e que era, antes das escavações que decorreram entre 2008 e 2011 no solo da igreja e zonas envolventes, “uma área desconhecida dos investigadores”.

A inauguração contou com as presenças do presidente da Entidade de Turismo do Alentejo e Ribatejo, Ceia da Silva, da CCDR Alentejo, Roberto Grilo, da directora regional de Cultura do Alentejo, Ana Paula Amendoeira – que atribuiu a concretização da obra à “persistência e perseverança” de Vítor Proença – dos deputados Paula Santos (PCP) e Pedro do Ó Ramos (PSD), do presidente da Câmara de Sines, Vítor Mascarenhas, e de muitos outros autarcas, entre vereadores, presidentes de junta e deputados municipais.

A animação musical esteve a cargo das bandas das sociedades filarmónicas de Alcácer do Sal, Progresso Matos Galamba e Amizade Visconde de Alcácer, e de Kátia Guerreiro, cujo concerto encerrou uma tarde memorável.

Comentários

- Pub -