Vitória dependente da pontaria de Jhonder Cádiz

12
visualizações

Avançado venezuelano apontou um terço dos golos sadinos no campeonato

 

- Pub -

O triunfo alcançado ontem pelo Vitória FC no reduto do Feirense, por 1-0, pôs a nu a evidência de que, no que à concretização diz respeito, existe uma gigante dependência do avançado Jhonde Cádiz. Dos 21 golos apontados pelos sadinos nas 27 jornadas realizadas até ao momento sete foram da autoria do venezuelano, que, feitas as contas, marcou um terço do total de tentos na prova.

A importância do atacante, de 23 anos, ganha ainda maior relevo se centrarmos atenção nas partidas mais recentes. Nos últimos 10 jogos do campeonato, Jhonder Cádiz foi o único jogador dos setubalenses a conseguir marcar. Além do tento de anteontem na Feira, fê-lo em outras quatro ocasiões: na derrota (2-1) com o Aves, ainda sob o comando técnico de Lito Vidigal, e, já com Sandro Mendes ao leme, nos empates (todos 1-1) com o Sporting, V. Guimarães e Moreirense.

Outro dado estatístico relevante nos vitorianos prende-se com a coesão defensiva que a equipa tem demonstrado na prova. Com 27 golos sofridos (média de um por jornada), os verdes e brancos têm, com o mesmo número do Sp. Braga, a quarta melhor defesa da I Liga. Melhor que os setubalenses só mesmo o FC Porto, Benfica e V. Guimarães com 17, 23 e 24, respectivamente.

Depois do 1-0 ao Feirense, que permitiu ao nono jogo que Sandro Mendes celebrasse a sua primeira vitória como treinador na I Liga, o treinador fez questão de deixar palavras elogiosas ao grupo de trabalho. “Disse antes da partida que seria um jogo de nervos, com duas equipas que lutam pelo mesmo objectivo. Tenho de dar uma palavra de agradecimento aos jogadores pela primeira vitória desde que estou nesta posição”.

O timoneiro dos sadinos fez questão de sublinhar a importância de todos os elementos que compõem o plantel, não hesitando em afirmar que os grandes obreiros do reencontro com os êxitos – depois de quatro meses sem triunfos – foram os atletas. “Os jogadores que ficam de fora dão mais alento aos que ficam no banco, e esses acabam por obrigar os que jogam a serem ainda melhores. Os jogadores têm sido uns campeões e o mérito desta vitória é sobretudo deles”.

Apesar de o Vitória ter ganho um balão de oxigénio com o êxito na Feira, a luta pela permanência ainda tem mais capítulos pela frente, frisou Sandro Mendes. “Ainda não conseguimos nada, mas são três pontos importantes na nossa luta, e já estamos a pensar no próximo jogo. Não é fácil ganhar jogos na I Liga, e as equipas que lutam para não descer são muito equivalentes, e uma vitória pode fazer-nos subir mais do que um lugar na tabela”.

Depois da festa que se seguiu após o apito final na partida, entre a equipa e os cerca de 500 adeptos que viajaram numa segunda-feira para assistir ao jogo que encerrou a 27.ª jornada da I Liga, o plantel está já focado em dar sequência ao resultado no domingo, dia em que o Estádio do Bonfim é palco do duelo entre Vitória e Marítimo. “Queremos que esta vitória seja a primeira de muitas para sairmos da zona em que estamos na tabela”, finalizou o técnico.

Sem tempo a perder, depois de a equipa ter chegado a Setúbal já na madrugada de ontem, depois de uma viagem em que o autocarro que transportou os jogadores fez uma paragem no Santuário de Fátima, Sandro Mendes começou ontem de tarde a preparar o jogo da jornada 28 com os madeirenses que seguem no 11.ª posto da tabela classificativa com 30 pontos, mais dois que os sadinos (14.º).

Comentários

- Pub -