Festival do Queijo, Pão e Vinho assinala bodas de prata

35
visualizações

Certame assinala nesta edição os 25 anos de actividade com o número recorde de expositores, onde se destacam 41 produtores, que incluem 10 queijarias, 17 adegas, quatro padarias, dois fabricantes de mel e vários empresários de doçaria e licores

 

- Pub -

 

 

A edição deste ano do Festival do Queijo, Pão e Vinho assinala as bodas de prata com um número recorde de expositores e cerca de quatro dezenas de actividades nas áreas de gastronomia, música, animação e desporto com forte presença das estruturas associativas do concelho e, em particular, da Freguesia de Quinta do Anjo.

O presidente da Junta de Quinta do Anjo, António Mestre, garantiu “vamos continuar a apostar no evento, que é uma referência da freguesia, dotando as instalações da Arcolsa de infraestruturas que beneficiem as condições do espaço” e congratulou-se com “a presença das associações culturais da freguesia”.

Para o presidente da Câmara de Palmela, Álvaro Amaro, o Festival “assinala um quarto de século de consolidação e valorização em parceria com a Arcolsa e é uma aposta ganha no Queijo de Azeitão, no pão, nos vinhos e nos sabores da Arrábida, numa actividade cada vez mais difícil de manter, mas onde ainda temos muitos campos de pastagens a meia dúzia de quilómetros da grande cidade, onde podemos encontrar esta urbe rural”.

O edil de Palmela destacou o grande grupo de trabalho de que “fazem parte 55 expositores com 41 produtores, 36 actividades de gastronomia, música, animação e desporto com forte participação das estruturas associativas do concelho” e sublinhou a importância da Escola de Turismo do Estoril, que “é de facto é um caminho, que valoriza a inovação, a qualificação, a formação e o mercado”. Álvaro Amaro explicou que a Câmara “apoia o Festival com quatro mil euros, mas a parte logística ultrapassa os 15 mil euros”.

Francisco Macheta, que preside à Arcolsa, instituição organizadora do Festival há 13 anos, destacou “as actividades para as crianças, que irão participar na fabricação do queijo e do pão, na tradicional tosquia manual, a corrida das ovelhas, iniciativas para os + de 50, os passeios de BTT e o 3º Concurso do Queijo de Azeitão, que foi retomado há três anos e a que nesta edição adicionamos a manteiga de ovelha e o queijo seco”.

O dirigente do Festival anuncia também as parcerias com a Escola de Hotelaria e Turismo do Estoril, dos Moinhos Vivos que irão fazer um workshop sobre a fabricação do pão e a participação de Celso Padeiro, com provas de espumante e de ostras.

Adopte uma ovelha e plante macieiras riscadinhas

No final da apresentação do Festival estavam reservadas algumas novidades, onde se destaca o projecto “Adopte uma Saloia”, que quer mobilizar as empresas para ser criada uma reserva genética da ovelha saloia. Francisco Macheta explicou “queremos manter um pequeno rebanho com a criação do Núcleo da Ovelha Saloia e dos Amigos da Ovelha Saloia” e já “estão a ser feitas obras para criar um espaço para receber as 10 saloias, que foram oferecidas por um ovelheiro”, mas nas traseiras do Museu “serão plantadas diversas macieiras, cujos enxertos serão mais tarde vendidos para dinamizar a produção da maça riscadinha”.

O Festival irá realizar-se nos dias 5, 6 e 7 de Abril, em São Gonçalo, na freguesia de Quinta do Anjo.

Comentários

- Pub -