Escaramuças entre jogadores obriga a intervenção policial

68
visualizações

O Cova da Piedade confirmou frente ao FC Porto B o bom momento que atravessa no Campeonato da II Liga Portuguesa de Futebol Profissional, pena foi que este jogo relativo à 26.ª jornada tivesse terminado de forma quezilenta e marcado de certa forma por uma longa interrupção, aos 87 minutos, após um cartão vermelho ao piedense Ballack.

- Pub -

Apenas dois minutos após uma outra expulsão, do central Willyan, o avançado cabo-verdiano contestou de forma impetuosa uma decisão do árbitro Marco Cruz, que entendeu que este não tinha sido carregado em falta num contra-ataque perigoso, e não parou de protestar mesmo após a mostragem do vermelho, levando jogadores de ambas as equipas a envolverem-se em escaramuças, que motivaram mesmo a entrada de vários agentes da PSP no relvado.

Sanado o incidente, o juiz da partida entendeu não haver motivo para a mostragem de mais qualquer cartão, mas acabou por colocar um ponto final no encontro após conceder apenas três minutos de compensação, pese embora os vários minutos que se perderam na sequência dos dois cartões vermelhos.

Não foi a melhor forma de terminar uma boa partida de futebol, plena de intensidade, onde o Cova da Piedade chegou à vantagem logo aos 12 minutos, por Allef Nunes, que aproveitou um ressalto à entrada da pequena área na sequência de um canto para colocar a equipa da casa em vantagem.

A partir desse momento, o FC Porto assumiu as despesas do jogo e dispôs de várias oportunidades para chegar à igualdade, mas a boa exibição de Moreira, que defendeu mesmo um penálti a Marius (43’), foi adiando o golo portista.

O guardião piedense só não conseguiu travar uma nova grande penalidade, desta feita cobrada por Madi (61’), que fixou o resultado final em 1-1.

Este foi o quinto jogo consecutivo a pontuar dos piedenses (dois empates e três vitórias) que, com 31 pontos, ascenderam ao 11.º lugar.

Comentários

- Pub -