“A obra do Mercado Mensal foi a mais difícil de 20 anos de autarca”

126
visualizações

Celestina Neves está a cumprir o segundo mandato como presidente da Junta de Freguesia de Azeitão. A autarca da freguesia já anunciou que não se recandidata a mais um mandato, porque “vou-me embora porque quero e não porque tenho de ir”.

 

- Pub -

Celestina Neves foi presidente da Freguesia de S. Simão, eleita pela CDU, tendo deixado a coligação, criou o Movimento Azeitão no Coração, com que venceu a eleições para a Freguesia de S. Lourenço. Depois da fusão da duas freguesias foi eleita presidente da Junta de Azeitão, onde cumpre o segundo mandato

 

Que balanço faz deste início de mandato?

A requalificação do Mercado Mensal de Azeitão foi a grande aposta no início deste meu último mandato. Confesso que estou orgulhosa pois o novo espaço ficou fabuloso. O grande investimento ali realizado, mais de 300 mil euros, teve um grande impacto na actividade de mais de quatro centenas de feirantes, que passaram a usufruir de todas as condições no espaço reabilitado, que está mais ordenado, com maior segurança e já tem iluminação à noite. O Mercado continua a motivar o interesse dos feirantes que nos contactam para vir para este espaço.

Posso garantir que a obra do mercado foi a mais difícil desde que sou presidente de junta. Temos tido um mandato idêntico ao anterior, mas com outros desafios, fruto do bom entendimento com o presidente da Assembleia de Freguesia, Joaquim Marcelino, da CDU, que se reflete na execução orçamental e a nível de projectos que vão de encontro ao que defendemos para a freguesia.

Quais os desafios para os próximos anos?

Este ano a nossa aposta irá continuar a incidir nas reabilitações dos largos. Começámos por reabilitar o Largo da Piedade, mas iremos também avançar para os largos das aldeias históricas e, para além de Vila Fresca e do Largo do Pinheiros, iremos criar o maior parque público de Azeitão, no Largo das Oliveiras.

Estamos a negociar com a câmara o projecto para a instalação de uma estação de caravanas, pois existem muitas solicitações.

Antes de acabar o mandato iremos intervir na reabilitação da Casa de Joana Gama, que foi cedida à Junta de Freguesia, que queremos transformar num espaço museológico de referência histórica de Sebastião da Gama.

Gostava também de ver o Palácio dos Duques de Aveiro, que foi adquirido por privados, transformado no hotel, que faz falta a Azeitão e está num local nobre da nossa terra. Também gostava que a Quinta das Torres, que está à venda, pudesse envolver investidores para que o espaço fosse reabilitado e atraísse mais turistas para Azeitão.

Confesso uma certa tristeza pela degradação das antigas instalações da AERSET, localizadas numa das entradas de Azeitão, que pertencem a um particular de Almada e a uma superfície comercial, que pede seis milhões de euros pela sua parte. Apesar de haver interessados na compra do espaço, as verbas que são pedidas envolvem montantes elevados.

 

Como encara a deslocalização da empresa Carmona?

Temos tido uma grande preocupação com o ambiente e encaramos com muita alegria a deslocalização da empresa Carmona, que irá funcionar com todas as condições nas futuras instalações, no Parque Industrial da Sapec. A deslocalização não está pendente da empresa Carmona, que tem as futuras instalações prontas, mas que aguardam por decisão da Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

 

Que balanço faz da intervenção nas praias no último ano?

Temos no nosso território algumas das praias da Arrábida e considero que a câmara de Setúbal assumiu a intervenção com muita coragem tendo como grande preocupação na segurança dos utentes. Felizmente houve uma actuação corajosa antes que acontecesse uma desgraça. Ainda têm que haver melhorias nos acessos para que as praias possam ser uma referência da freguesia de Azeitão e do concelho de Setúbal.

Como está a decorrer a delegação de competências?

Estamos a cumprir os protocolos na íntegra e estão a funcionar muito bem com um grau de execução muito superior à verba descentralizada.

Mantenho excelentes relações com todos os eleitos, vereadores e a presidente Maria das Dores Meira, pois somos mulheres muito determinadas e trabalhadoras e assim o entendimento é fácil.

A nível das escolas tivemos que proceder à alteração de turmas, pois Azeitão está a atrair muitos estrangeiros e inscreveram-se mais 26 crianças vindas de outros países. Aguardamos com muita expectativa o anúncio da Administração Central sobre a construção da Escola Secundária, na zona dos Olhos de Água, que irá contemplar as freguesias de Azeitão e de Quinta do Conde.

 

A presidente da Câmara de Setúbal está a cumprir o último mandato. Como encara a sua substituição?

Maria das Dores Meira é uma figura incontornável, mas considero que a CDU estará à altura de arranjar alguém que dê continuidade ao seu excelente trabalho. Confesso que também estou na expectativa de quem a irá substituir.

 

Este será o seu último mandato. Está cansada de ser autarca?

No final deste mandato faço 20 anos como presidente de junta e vou-me embora porque quero e não porque tenho de ir. Podia ainda candidatar-me a mais um mandato e, apesar de não estar cansada porque não encaro a minha participação de autarca como um frete, não vou ficar muda, nem calada e irei apoiar aqueles que melhor defendam os interesses de Azeitão.

 

A cinco votos da maioria absoluta

Celestina Neves esteve na Junta de S. Simão como secretária em 1997 e presidente em 2001.

Na Junta de S. Lourenço cumpriu um mandato.

Com o movimento Azeitão no Coração está no segundo mandato e por apenas 5 votos não teve a maioria absoluta.

Comentários

- Pub -