Centro de saúde do Alto Seixalinho representa novo futuro da saúde

28
visualizações

Determinação da Comissão de Utentes dos Serviços Públicos e da população continua como força motriz para conquista de novos equipamentos da saúde

 

- Pub -

 

A Comissão de Utentes dos Serviços Públicos realizou uma Tribuna Publica pela Construção do Centro de Saúde no Alto do Seixalinho, com o apoio de centenas de manifestantes, que marcaram presença no local onde está prevista a construção deste equipamento, junto ao supermercado Aldi no Barreiro.

Durante a realização da Tribuna Pública, a Comissão de Utentes destacou o mote “Antes quebrar que torcer!”, como símbolo desta conquista, depois de décadas de espera para a construção de um novo equipamento da Saúde.

Em destaque, foi ainda afirmado “quando se luta e não se desiste podemos aspirar a obter resultados que compensem o esforço e os sacrifícios”.

Embora o novo centro de saúde ainda não seja uma realidade efectiva, a Comissão de Utentes afirma, “ainda não temos o centro, mas já conseguimos o reconhecimento de que a prioridade era ser nesta zona e não noutra qualquer”. Uma vitória sobre a qual comentam “não foi apenas a persistência da Comissão de Utentes que conseguiu (…) foi a luta de todos e de todas nós”.

Neste contexto, através da Tribuna Pública, a Comissão de Utentes pretendeu “saudar a população do Alto Seixalinho e a luta travada até hoje” e “manifestar a sua vontade e determinação em não desistir até que o Centro de Saúde seja uma realidade”.

 

18 mil utentes sem médico de família

 

O novo centro de saúde, com construção prevista na zona do Alto do Seixalinho, foi anunciado a 18 de Fevereiro, representando um grande diferencial para o futuro da saúde no concelho.

Desde o encerramento da unidade de saúde na Avenida do Bocage, a população do Alto do Seixalinho passou a ter que se deslocar para o centro de saúde da Quinta da Lomba.

Contexto em que as deslocações colocam em causa o conforto dos utentes e acessibilidade aos cuidados de saúde primários, devido ao facto de a rede de transportes a não ser suficientemente eficiente, segundo alega a Comissão de Utentes.

Para além da situação relacionada com os transportes, a Comissão de Utentes alega ainda que, a deslocação de um elevado número de utentes foi agravar a funcionalidade do centro de saúde da Quinta da Lomba, devido ao elevado número de utentes que já estava alocado naquela unidade.

A Comissão de Utentes do Barreiro destaca também o facto de, no Barreiro existirem 18 mil utentes sem médico de família, dentro de uma faixa etária com idade avançada, motivo pelo qual se torna, cada vez mais premente a construção de novos equipamentos da saúde.

Comentários

- Pub -