Vitória empata com Guimarães no Bonfim

15
visualizações

Sadinos somam quarta igualdade em cinco jornadas com Sandro ao leme da equipa

 

- Pub -

O Vitória FC falhou no sábado o objetivo de se reencontrar com os triunfos ao empatar, 1-1, na recepção ao V. Guimarães. Depois de terem chegado ao intervalo em desvantagem no marcador, por 0-1, uma boa reacção dos comandados de Sandro Mendes na segunda parte permitiu à equipa chegar à igualdade graças à grande penalidade convertida pelo venezuelano Jhonder Cádiz, aos 80 minutos.

Apesar de os setubalenses terem somado o seu 12.º jogo no campeonato sem triunfar, o treinador, que orientou a equipa em cinco dessas jornadas [Lito Vidigal fê-lo nas sete rondas anteriores], preferiu no final do encontro salientar o facto de os seus jogadores, a quem não poupou elogios, terem somado mais um ponto ao seu pecúlio. Já o adversário, que segue na sexta posição, não conseguu manter a distância que tinham para o Moreirense, que tinha vencido na tarde de sábado o Feirense e está agora mais só na 5.ª posição.

Em relação ao jogo, que marcou a estreia do guarda-redes georgiano Makaridze no Vitória FC, o conjunto minhoto entrou mais dinâmico conseguindo tirar partido de alguma ansiedade dos anfitriões. A prová-lo está o facto de terem criado as melhores ocasiões no primeiro tempo e dispuseram das melhores oportunidades para marcar.

O primeiro tempo da equipa de Sandro Mendes deixou muito a desejar. Depois de um remate fraco de meia-distância de Sílvio (25 minutos), que saiu muito ao lado do poste direito, só Jhonder Cádiz, depois de testar a atenção de Douglas aos 32, conseguiu ameaçar a baliza contrária. Aos 34, Nuno Valente lançou o avançado venezuelano que foi mais rápido que o seu compatriota Osorio e rematou com perigo a rasar o poste direito.

Mais pontaria tiveram os vimaranenses. Depois de avisos de Tozé (05 minutos), Davidson (19) Alexandre Guedes (35) e Rafa Soares (40), os comandados de Luís Castro chegaram à vantagem por intermédio de Mattheus Oliveira que rematou cruzado, após assistência de Davidson, para o 1-0 no último lance do primeiro tempo.

Em desvantagem no marcador, Mendy foi a jogo no início do segundo tempo. Em boa hora o fez porque a entrada do guineense (para o lugar de Sekgota) mexeu com a partida, dando mais profundidade ao ataque dos anfitriões. Os primeiros avisos dos sadinos foram dados aos 51 e 52 minutos. Primeiro Nuno Valente criou dificuldades a Douglas na cobrança de um livre directo. Logo em seguida, Berto rematou para as nuvens quando tinha tudo para marcar.

Quem ficou bem perto de facturar foi o Vitória de Guimarães num disparo de Davidson, aos 60 minutos, que acertou em cheio no poste direito da baliza defendida por Makaridze. Na área contrária, o Vitória sadino chegou ao golo, mas o lance, já depois dos festejos dos adeptos, foi anulado após intervenção do vídeo-árbitro por fora-de-jogo de Mendy no momento em que empurra para o fundo da baliza, aos 66 minutos.

Volvidos três minutos, o avançado guineense voltou a ser protagonista ao rematar muito sobre a trave num lance em que podia ter feito muito melhor. Na resposta, o emblema de Guimarães tentou a sua sorte por Osorio e Tozé (72 e 74 minutos), mas Makaridze, uma vez por instinto e outra mostrando qualidade, impediu o 2-0.

Pelo facto de nunca ter desistido na segunda parte de buscar um resultado que lhe permitisse pontuar, o Vitória FC, sempre apoiado pelos adeptos setubalenses, foi recompensado aos 80 minutos na grande penalidade apontada por Jhonder Cádiz. A falta que originou o castigo máximo foi cometida por Pedro Henrique (que viu o segundo cartão amarelo e a consequente expulsão) sobre o avançado venezuelano.

Apesar de os sadinos terem actuado os últimos 10 minutos (mais seis do tempo de compensação) com mais um elemento em campo, a equipa não conseguiu voltar a marcar, não conseguindo, por isso, interromper o jejum de êxitos que já não alcançam desde 01 de dezembro de 2018, dia em que foram à Madeira vencer o Marítimo, por 1-0.

 

Sandro Mendes: «Criámos oportunidades suficientes para ganhar o jogo»

 

“Foi mais um jogo que passou em que pontuámos. Queremos ganhar sempre, mas não temos conseguido. A primeira parte foi dividida, mas não tivemos oportunidades de golo. Uma desatenção nossa fez-nos sofrer o golo. Reagimos na segunda parte e fomos atrás do prejuízo. O jogo estava partido e podíamos ter marcado e o Vitória de Guimarães também, num lance em que atiram a bola ao poste. Criámos oportunidades suficientes para ganhar o jogo.

Tenho uma equipa de homens com ‘h’ grande. Trabalham muito durante a semana e têm muita entrega, mas no fim não conseguimos vencer. Houve um sabor amargo, a vitória esteve muito perto. O que disse aos jogadores ao intervalo? O mesmo que disse antes de começar o jogo. Quando terminasse queria que não sentissem que podiam ter dado mais. Faltou-nos concentração. Podíamos ter ganhado, tivemos apoio do público. Resta-nos seguir este caminho.”

Comentários

- Pub -