PSD e PS defendem mais saúde pública para Gâmbia, Pontes e Alto da Guerra

22
visualizações

Desde a rede de saneamento à inexistência de um centro de saúde, PSD e PS procuram respostas para solucionar problemas, que persistem na freguesia há várias décadas

 

- Pub -

No início de 2018, após o primeiro trimestre do novo mandato autárquico, a Câmara Municipal de Setúbal planeava avançar com Fase 3 do projecto de saneamento básico na freguesia de Gâmbia Pontes e Alto da Guerra. Contudo, até ao momento o projecto ainda não avançou.

Pedro Vieitas Antunes, representante da bancada PSD na Assembleia de Freguesia de Gâmbia, Pontes e Alto da Guerra, considera que, “este território rural, localizado fora do perímetro urbano, apresenta um conjunto de problemas por resolver há cerca de 30 anos. Entre eles, o saneamento básico”.

Depois de duas décadas sem que o PSD elegesse um representante na assembleia de freguesia, o Pedro Vieitas Antunes avança, “agora é tempo de dar soluções a questões que parecem estagnadas”.

Hoje, a cobertura de saneamento na freguesia abrange apenas 50% do território. Uma situação que, no parecer do social democrata, coloca os habitantes “em risco”, no que respeita à salubridade e saúde pública. “Para além de acarretar gastos particulares com o vazamento de fossas. Quando a população já paga um IMI [Imposto Municipal sobre Imóveis] elevado”.

Ainda neste contexto, Pedro Antunes destaca uma moção apresentada na Assembleia de Freguesia, “para que o executivo da Junta se una ao PSD, no sentido de exigir à autarquia que, no lugar do investimento para colocar saneamento nas praias da Arrábida, se preocupe com as populações sem acesso ao mesmo”, alega.

A par desta questão, Pedro Antunes destaca que o PSD vai apresentar uma proposta, na próxima Sessão de Câmara, agendada para dia 20 de Fevereiro, sobre a falta de equipamentos da saúde na freguesia e uma possível solução com recurso a uma Unidade de Saúde Móvel”.

Actualmente, a população recorre ao Centro de Saúde do Faralhão e Centro de Saúde do Vale do Cobro. No entanto, a cobertura de transporte público é insuficiente para estas deslocações.

Uma bandeira que o Partido Socialista defende como “prioritária” para a freguesia. Emanuel Campos, representante do PS na Assembleia de Freguesia, destaca, “as questões de saneamento continuam a ser prioritárias e um problema grave de saúde pública, mas o acesso a cuidados médicos é uma situação igualmente urgente”.

Para o deputado parece irreal que uma pessoa doente, por vezes com idade avançada, tenha que deslocar-se de autocarro até ao Vale do Cobro para ser atendida “e depois, no regresso, esperar outras tantas horas, por uma ligação de autocarro”.

No caso do acesso ao Centro de Saúde do Faralhão, que também é utilizado por parte da população desta freguesia, a situação é “ainda mais grave”, uma vez que, “dentro da freguesia não existem ligações de transporte público”.

Foi esta motivação que levou o PS a apresentar uma moção para que, na impossibilidade de agilizar a construção de um centro de saúde, ou outra solução similar, “a autarquia disponibilize transporte gratuito à população, no acesso ao Centro da Saúde do Faralhão”.

Sobre os aspectos positivos deste mandato, Emanuel Campos refere o trabalho já conquistado pelo PS, com a “aprovação de uma moção, em assembleia, a referir que é prioridade da freguesia avançar com o saneamento. E outra moção para a criação de um parque canino”.

Quanto à aquisição do IMA PARK, o socialista comenta, “face a um contexto em que projectos de urgência social continuam pendentes, parece inapropriado um investimento de tal ordem [4,4 milhões], por parte da Câmara Municipal. Por metade desse valor completaria a rede de saneamento”.

Comentários

- Pub -