Alcácer do Sal adere à Plataforma Alentejo

52
visualizações

Município junta-se a quase uma centena de organizações e personalidades que lutam por melhores acessibilidades, com aposta no comboio e auto-estrada A26 até aeroporto de Beja

 

- Pub -

A Câmara de Alcácer do Sal aprovou hoje a adesão do município à Plataforma Alentejo, um grupo de pressão por integração de diversas infra-estruturas para a região no Programa Nacional de Investimentos 2030 (PNI 2030).

Unidos na luta por melhores acessibilidades ao Alentejo, quase uma centena de nomes integram o grupo que tem uma petição a decorrer já com mais de 2.500 assinaturas.

Entre as reivindicações da plataforma estão a electrificação e novos ramais da linha férrea, e a transformação do Aeroporto de Beja em aeroporto internacional, com ligação a Lisboa por autoestrada através da A26.

Vítor Proença defendeu a importância de algumas das infra-estruturas para Alcácer do Sal e a adesão do município foi aprovada pela CDU com abstenção do PS.

O executivo municipal aprovou também a adjudicação da empreitada de construção da ETAR do Bairro do Forno Cal. A obra, de 212 mil euros foi entregue à única empresa que concorreu.

Já para as obras na Oficina da Criança e na Escola dos Telheiros, cujos concursos públicos ficaram desertos, a autarquia aprovou a reprogramação financeira necessária para poder aumentar o orçamento disponivel para os dois casos.

Para a Oficina da Criança vai ser feito novo concurso com um aumento de 45% do orçamento inicial, para ver se desta vez aparecem empresas interessadas. No caso da Escola dos Telheiros, o aumento da verba é de 35%, porque o município recebeu manifestação de interesse por parte de duas empresas que indicaram os valores que podem cobrar pela empreitada.

 

Torrão no centro da reunião com investimento e doçaria

O Torrão acabou por ser a localidade mais referida na reunião municipal de hoje, com três propostas relativas a questões da vila.

Foi aprovada a abertura de concurso público para a empreitada do Plano de Mobilidade do Torrão. Um investimento de 487 mil euros para reabilitação de 11 ruas. Vítor Proença sublinhou que “não se trata apenas de mudar a calçada, mas de remodelar toda a rede subterrânea, que está obsoleta” e queixou-se de neste caso, “por teimosia” do Ministério do Ambiente o co-financiamento não chegar aos 50% do total, obrigando o município a um “esforço financeiro enormíssimo”. O autarca comunista disse tratar-se de “um compromisso eleitoral da CDU que vai ser cumprido”.

A proposta foi aprovada por unanimidade, assim como o novo regulamento para o Torrão Doce, que este ano vai realizar-se nos dias 12,13 e 14 de Abril. As novas normas alargam a participação no certame também à gastronomia e artesanato o que foi elogiado pelas vereadoras do PS. Clarisse Campos (PS) defendeu a importância de o evento manter o foco na doçaria e o presidente da Câmara concordou. Vítor Proença (CDU) disse que a doçaria tradicional é uma “marca” do Torrão e recordou que a CDU foi “único partido” que incluiu este certame no programa eleitoral. O autarca não esclareceu se o Torrão Doce vai passar a ser anual ou se continua de dois em dois anos.

Ainda sobre o Torrão, o executivo aprovou ainda, e novamente por unanimidade, a ocupação de uma loja do mercado por uma jovem veterinária da vila que vai abrir estabelecimento para funcionar dois dias por semana.

O PS congratulou-se não apenas pela abertura da loja do mercado, que estava a servir de armazém, mas também pela facto de tratar-se de uma jovem que regressa à sua terra, após formar-se, para exercer a profissão.

 

Comentários

- Pub -