Fórum do PS Setúbal discute como combater as desigualdades

55
visualizações

Deputada Catarina Marcelino, presidente do politécnico Pedro Dominguinhos, e vereadora Teresa Andrade foram oradores

 

- Pub -

O PS Setúbal arrancou com a preparação das próximas autárquicas na sexta-feira, com o primeiro de um ciclo de quatro debates. Este fórum, com o titulo “Combater as Desigualdades”, teve como oradores a deputada, ex-secretária de Estado e presidente da Assembleia Municipal do Montijo, Catarina Marcelino, o presidente do Instituto Politécnico de Setúbal e vice do conselho nacional destes institutos, Pedro Dominguinhos, o docente do ISCTE, Tito Damião, e a vereadora na Câmara de Setúbal, Teresa Andrade.

Catarina Marcelino apontou as desigualdades de rendimento como base fundamental dos problemas sociais, destacou o papel da educação, defendeu a importância da inovação e vincou que as maiores vítimas da desigualdade ainda são as mulheres.

Pedro Dominguinhos destacou a necessidade de dados concretos sobre o problema, deu exemplo de desigualdades que subsistem, denunciou a falta de mobilidade social no ensino, o défice de aposta das famílias na formação dos filhos, e referiu a necessidade de transformar o mercado de trabalho.

O presidente do IPS abordou ainda a definição do Território de Setúbal ao nível das NUTS, dizendo que Setúbal se encontra muito penalizada no acesso a oportunidades e fundos de coesão e que há uma necessidade de rever estas definições e valorizar o território.

Este é, aliás, o tema do segundo debate, previsto para o mês de Março. Segundo a concelhia, liderada por Paulo Lopes, este ciclo pretende “sensibilizar a população de Setúbal para estes temas” e “enquadrar as acções governativas globais no nosso território, indo ao encontro das reais necessidades do concelho de Setúbal”.

Teresa Andrade, vereadora e responsável do gabinete de estudo do PS local, moderou o encontro. “O balanço do debate evidenciou que o combate à pobreza e ao ciclo vicioso que prende as pessoas nessa situação de precaridade, carência e isolamento social, constitui uma causa social e política de primeira ordem que a concelhia do PS de Setúbal deseja erradicar”, refere o partido em nota divulgada ontem.

Comentários

- Pub -