Teatro Joaquim Benite apresenta 52 produções em 2019

57
visualizações

O Teatro Municipal Joaquim Benite (TMJB), em Almada, vai acolher este ano 52 produções, de teatro, dança, música e oficinas para a infância, entre as quais quatro novas criações da Companhia de Teatro de Almada.

- Pub -

Segundo o director artístico da Companhia de Teatro de Almada (CTA), residente do TMJB, cuja programação para 2019 foi apresentada ontem à noite, aquela estrutura irá acolher, “em apenas nove meses, 52 distintas produções de teatro, dança, música e oficinas para a infância, contabilizando um total de 197 sessões, e em Julho decorrerá a 36.ª edição do Festival de Almada”.

A programação inclui quatro novas criações da CTA (“Fenda”, “Reinar depois de morrer”, “Se isto é um homem” e “Händel”) que, de acordo com o director artístico, Rodrigo Francisco, “desenham uma viagem que atravessa várias épocas e aborda temas bem prementes”.

“Fenda”, com encenação de Rodrigo Francisco e que estará em cena entre 15 de Março e 07 de Abril, trata-se de “um texto contemporâneo sobre a informação televisiva, que conta o drama de uma jornalista a braços com o remorso de ter cortado com o seu passado familiar”.

Inserido na Mostra Espanha 2019, de 25 de Outubro a 17 de Novembro estará em cena “Reinar depois de morrer”, com encenação de Ignacio García, “um texto do Siglo de Oro espanhol, em estreia absoluta em Portugal, interpela o amor de D. Pedro e D. Inês de Castro por meio da tensão existente entre a razão individual e a razão de Estado”.

“Se isto não é um homem”, uma encenação de Rogério de Carvalho a partir de um texto de Primo Levi, “levado à cena pela primeira vez [em Portugal], justamente no ano em que se assinala o centenário do nascimento de Primo Levi”, que é apresentado entre 29 de Novembro e 15 de Dezembro, “constitui um contributo para que as novas gerações conheçam o Holocausto, numa época em que vai sendo tão urgente relembrar os horrores do totalitarismo”.

“Händel: espectáculo de água e reais fogos de artifício”, com encenação de Teresa Gafeira e que poderá ser visto de 30 de Novembro a 15 de Dezembro, “celebra a música de Georg Friedrich Händel (1685-1759)”, criando “um universo musicalmente lúdico para as crianças, entusiasmando-as para descobrir o insuperável virtuosismo do mestre do Barroco musical”.

A programação de 2019 arranca no sábado com um Concerto de Ano Novo, pela Orquestra Sinfónica Portuguesa, uma das estruturas que apresentarão espectáculos no TMJB este ano.

Entre os outros nomes que vão passar por Almada estão a Companhia Nacional de Bailado, que “inicia no mês de maio uma colaboração com o TMJB que se prolongará até ao final do ano”, o Teatro Nacional São João, que leva em Fevereiro a Almada “Uma noite de futuro”, uma encenação de Nuno Carinhas a partir de textos de Samuel Beckett e Gil Vicente, ou os Artistas Unidos, cuja peça “Do alto da ponte”, uma encenação de Jorge Silva Melo de um texto de Arthur Miller, estará em cena em Fevereiro.

Da programação fazem também parte projectos da Companhia de Teatro de Braga (“A antiga mulher”, em Março, um texto de Roland Schimmelpfennig com encenação de Toni Cafiero), do Teatro do Noroeste (“O autómato”, em Março, a partir da obra” Tic-Tac, O Autómato que tinha um parafuso a menos!”, de Fernando de Paços, com cocriação e encenação de Graeme Pulleyn), do Teatro de Marionetas do Porto (“Pelos cabelos”, em Maio, textos de Edgard Fernandes, Isabel Barros e Rui Queiroz de Matos, com encenação de Isabel Barros) e do Teatro do Bairro (“Como saber o que não dizer”, em Outubro, texto de Luísa Costa Gomes com encenação de António Pires).

De fora de Portugal, chegam produções da companhia alemã Familie Flöz (“infinita”, a 25 de Janeiro, de Björn Leese, Benjamin Reber, Hajo Schüler e Michael Vogel e direcção de Hajo Schüler e Michael Vogel) e da coreógrafa francesa Maguy Marin (“Ligne de Crête”, a 04 de Maio).

A programação do TMJB para 2019 inclui também concertos como Aline Frazão (19 de Janeiro), Manel Cruz (13 de Abril), David Fonseca (28 de Setembro) e Fernando Tordo (11 de Maio).

Lusa

Comentários

- Pub -