AEROPORTO | Fernando Pinto entrega caderno de encargos ao ministro Pedro Marques

161
visualizações

O presidente da Câmara Municipal de Alcochete foi ontem recebido pelo governante. Município reivindica investimentos nas áreas de saúde, segurança, socorro, acessibilidades e abastecimento de água, caso o novo aeroporto venha a localizar-se na BA6

Fernando Pinto, presidente da Câmara Municipal de Alcochete, apresentou ontem ao ministro do Planeamento e das Infra-estruturas, Pedro Marques, um caderno de encargos que espera ver executado caso o novo aeroporto complementar a Lisboa venha a ser instalado na Base Aérea n.° 6 do Montijo.

- Pub -

A audiência com o governante, que decorreu esta quarta-feira em Lisboa, havia sido solicitada pelo autarca, com o objectivo de dar conta das preocupações do município “face à possibilidade de uma obra de enorme dimensão” que terá enorme impacto “no concelho e, em particular, na freguesia do Samouco”, confirmou o gabinete de comunicação da Câmara de Alcochete.

Saúde, segurança, protecção civil e socorro, acessibilidades e abastecimento de água são as áreas que o município pretende ver acauteladas em termos de investimentos.

“A Saúde, com a melhoria do Centro de Saúde e maior e melhor prestação de cuidados aos cidadãos do concelho”, revela a autarquia, salientando que no campo da segurança é necessário aumentar meios da GNR no concelho. Até porque, conforme transmitiu o edil ao ministro, existe “escassez de efectivos” da GNR no concelho, constatando-se “a necessidade do incremento de um melhor policiamento em todas as freguesias”.

Na área da protecção civil e socorro, Fernando Pinto reclama maior apoio à corporação dos bombeiros locais, “dotando-os de meios para uma mais efectiva capacidade de resposta nos serviços que prestam às populações”.

Outras das reivindicações apresentadas pelo presidente da Câmara é a “construção de um novo nó de acesso à Ponte Vasco da Gama”, assim como a “melhoria significativa de todas as acessibilidades do concelho”.

O abastecimento de água é também uma das preocupações da autarquia. “De acordo com a APA, o furo de água que abastece o Samouco, caso se concretize a construção do novo aeroporto, vai ter de ser selado”, revela a edilidade, lembrando que já tinha planeada a construção de um novo reservatório, “dada à já deficiente capacidade do [actual] furo abastecer em condições ideais” a referida freguesia.

A abertura de um novo furo que, sem necessidade de reservatório, possibilite o abastecimento em condições normais de quantidade e qualidade da água também consta no documento entregue ao ministro.

Recorde-se que, tal como O SETUBALENSE – DIÁRIO DA REGIÃO avançou em primeira-mão, na próxima terça-feira, 8, o primeiro-ministro António Costa tem prevista uma visita à BA6, tendo em vista a assinatura do acordo entre a ANA Aeroportos e a Força Aérea, no âmbito da instalação do futuro aeroporto complementar a Lisboa no Montijo.

Comentários

- Pub -