Centenas de pessoas despedem-se de Luís Rosindo

218
visualizações

Presidente da República fez-se representar no funeral do jovem co-piloto que saiu da Igreja de Palmela para crematório de Setúbal

Luís Rosindo (foto DR)

O funeral do co-piloto Luís Miguel Singéis Neto Rosindo decorreu esta tarde, depois da missa na Igreja de S. Pedro, em Palmela, seguiu para o Cemitério de Algeruz, em Setúbal, onde foi cremado. O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, fez-se representar e todos os autarcas do concelho marcaram presença.

- Pub -

Luís Rosindo foi uma das vítimas da queda do helicóptero, no último sábado, em Valongo, fazendo toda a sua vida na vila de Palmela, onde começou no Centro Social de Palmela, frequentou a Escola Secundária de Palmela e fez parte de todos os escalões de formação do Clube Palmelense.

O jovem de 31 anos era filho único sendo muito querido na comunidade onde sempre viveu, tendo o funeral reunido centena de amigos e colegas de profissão.

Na sessão desta quarta-feira foram aprovados três votos de pesar, um da CDU, onde o presidente Álvaro Amaro, reconheceu que “quem com ele privou como um ser humano de excepção, pela sua vontade de ajudar o próximo” e o “desaparecimento de Luís Rosindo é, sem dúvida, uma enorme perda para o concelho e para o país”.

O segundo voto de pesar veio do vereador Paulo Ribeiro, da coligação Palmela Mais, que recordou “Luís Rosindo dedicou a sua vida ao desporto e à protecção dos animais, mas era na protecção de pessoas, que estava a sua vocação, primeiro como nadador salvador e depois como co-piloto ao serviço do INEM” e concluiu “era um homem de causas, que acabou por perder a vida a ajudar o próximo”. A socialista Mara Rebelo lembrou “a ligação do Luís a Palmela, desde pequeno, tendo frequentado o Centro Social de Palmela, a Escola Secundária e o Palmelense” e “foi um dos quatro heróis do INEM, a quem apresentamos sentidas condolências”.

José Calado, do MIM fez questão de sublinhar “estou de acordo com todos os votos de pesar, pois as pessoas que trabalham na área da protecção civil dedicam a sua vida a proteger os outros” e lembrou também a “morte prematura do bombeiro do Pinhal Novo, Ricardo Gomes”.

Todos os votos de pesar manifestaram profundas condolências às famílias enlutadas e foram aprovados por unanimidade.

 

Bispo de Setúbal presidiu às exéquias

O bispo de Setúbal, D. José Ornelas, presidiu às exéquias que decorreram esta tarde.

A Diocese de Setúbal uniu-se, assim, ao pesar nacional, e o bispo dirigiu-se especialmente aos familiares do jovem.

Saúdo-vos, a todos, na dor que nos é comum. Aos pais, namorada, familiares e amigos, às instituições e associações a que o Luís pertenceu e estimou, à Força Aérea Portuguesa, à autarquia, ao representante do senhor Presidente da República, mas, de um modo especial aos seus colegas do INEM que são, para todos nós, nos momentos de necessidade, uma presença fundamental.”, disse D. José Ornelas.

RECTIFICAÇÃO
Esta notícia do funeral de Luís Rosindo tinha um erro. Foi escrito que o Presidente da República esteve presente quando a informação correcta é que enviou representante. Pelo erro pedimos desculpa aos leitores e à família.
Noticia rectificada às 17h35 de 20/12/2018

Comentários

- Pub -