Iluminação e higiene marca reunião de moradores do Vale do Cobro com autarcas

15
visualizações

Município vai colocar luminárias LED em vários locais do bairro e reforçar a iluminação pública entre a rotunda do Monte Belo e o Intermarché. Informação sobre melhor prática a adoptar para deposição de lixos vai ser reforçada

 

- Pub -

A necessidade de reforço da iluminação pública e a questão da higiene e limpeza foram os principais problemas levantados pelos moradores do Vale do Cobro numa reunião de auscultação promovida pela Câmara Municipal de Setúbal, na passada sexta-feira à noite, na Escola Básica Luísa Todi. A sessão contou com as participações dos vereadores Carlos Rabaçal e Carla Guerreira, além do presidente da Junta de Freguesia de São Sebastião, Nuno Costa.

No que toca à iluminação pública em alguns locais do bairro, entre os quais a via provisória de acesso à Avenida Álvaro Cunhal, a vereadora Carla Guerreiro garantiu que o município irá proceder à “substituição de bolas antigas e queimadas que se encontram em vários postes de iluminação por novas luminárias com tecnologia LED”, na sequência, explicou, de um acordo entre a autarquia e a EDP, com o investimento nos novos equipamentos a ser custeado pelas duas entidades em percentagens iguais.

A autarca adiantou que também está previsto o reforço da iluminação na Avenida Álvaro Cunhal, entre a rotunda do Monte Belo e o Intermarché, com o vereador Carlos Rabaçal a juntar que, no caso concreto da via provisória de ligação entre o bairro e a Avenida Álvaro Cunhal, já se encontra em análise na Câmara Municipal um projecto para uma grande urbanização na referida zona e que haverá uma requalificação das acessibilidades. Todavia, Carlos Rabaçal prometeu ainda que a autarquia irá analisar a situação, tendo em vista a possibilidade de vir a dotar a estrada de iluminação provisória.

 

Há soluções para deposição de lixos

 

Os problemas relacionados com a higiene, nomeadamente “a falta de limpeza da vala, a deposição de lixos e monos em redor dos contentores, a falta de limpeza da zona envolvente aos moloks e os dejectos caninos espalhados no chão” foram outras das preocupações manifestadas pelos residentes locais.

“Temos um serviço a funcionar com três turnos, de manhã, de tarde e de noite, apenas para recolher monos. Ainda assim, em algumas zonas tivemos de retirar contentores porque se estavam a tornar locais de abandono de lixo”, disse a vereadora Carla Guerreiro, admitindo que, em relação aos monos, existem alguns pontos críticos no concelho, mas que a autarquia tem desenvolvido “um enorme esforço na recolha” todos os dias, excepto aos sábado à noite e aos domingos.

O ponto mais crítico identificado em Vale do Cobro é junto a um contentor enterrado na Rua da Electricidade, no cruzamento de acesso à estrada provisória que liga à Avenida Álvaro Cunhal, onde, além de monos, são depositados entulhos de obras e vários tipos de resíduos. Uma das soluções para este problema passa pelos moradores contactarem a Câmara para saberem qual a melhor a hora para colocarem os lixos em determinado local, evitando-se assim que os mesmos acumulem-se muito tempo junto dos contentores.

“Vamos reforçar a comunicação junto da população para que tenha conhecimento disto. Uma solução pode ser a colocação de uma placa junto dos contentores com esta informação”, sublinhou a vereadora, lembrando também que, no que toca aos entulhos, a autarquia disponibiliza, quando solicitado, um “big bag”, saco para recolha dos entulhos das obras “com um valor praticamente simbólico”.

 

Fiscalização ao problema dos dejectos caninos

 

Quanto às queixas de falta de limpeza em redor dos contentores enterrados, serviço que é prestado à autarquia pela EGEO, Carla Guerreiro informou que vai alertar a referida empresa sobre a situação, ao mesmo tempo que deixou a promessa de a Câmara ir passar a reforçar a fiscalização no que diz respeito ao problema dos dejectos caninos.

Já o estacionamento local, também abordado pelos moradores, está a ser alvo de estudo. O vereador Carlos Rabaçal revelou que a autarquia está a estudar a hipótese de construir duas bolsas em terrenos defronte e por trás do centro de saúde.

A reunião com os moradores de Vale do Cobro, à semelhança do modelo seguido noutros bairros, insere-se na estratégia municipal de proximidade, ouvindo os cidadãos para identificar os problemas sentidos em cada bairro e eventuais soluções para os mesmos.

Da reunião, informou a autarquia, saiu a constituição de um grupo formado por moradores, que se voluntariaram a trabalhar mais dircetamente com a Câmara. Este grupo irá reunir com técnicos municipais em Janeiro para analisar no terreno as situações levantadas pela população e a forma de as corrigir.

Ontem à noite decorreu uma nova reunião, desta vez com os moradores do Bairro Santos Nicolau, no Núcleo dos Amigos do Bairro Santos Nicolau.

Comentários

- Pub -