Condenada a trabalho comunitário por abandonar cão atropelado

306
visualizações

O Tribunal Judicial da Comarca de Setúbal condenou uma mulher de 32 anos, G. Costa, a trabalho comunitário por ter abandonado na Serra da Arrábida o seu próprio cão à morte, depois de o animal ter sido atropelado por uma viatura e necessitar de internamento em hospital veterinário. A sentença, datada do passado dia 28, ditou uma condenação a 9 meses e 15 dias de prisão pelo crime de maus-tratos a animais de companhia, pena substituída pela aplicação de “285 horas a efectivar, de preferência, em entidade beneficiária que se dedique à protecção de animais”.

- Pub -

A arguida foi ainda condenada a pagar 221,95 euros mais juros de mora a 4%, por danos patrimoniais, e mais 150 euros, por danos não patrimoniais, a Vera Santos, mulher que resgatou o bichano e acabou por custear os cuidados veterinários necessários à recuperação do animal.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O caso remonta a 13 de Abril de 2017, quando o Tobias, cão de raça Yorkshire Terrier, então com cinco anos de idade, foi atropelado por um automóvel na Avenida Rodrigues Manito, em Setúbal, ficando em choque, sem conseguir andar ou equilibrar-se nos membros posteriores, já que sofreu múltiplas fracturas no pélvis, sangramento do escroto com lacerações com exposição testicular, além de uma luxação.

G. Costa garantiu que o animal fosse assistido numa clínica veterinária, mas recusou que o cachorro ficasse internado sob monitorização, como se impunha, levando-o de volta para casa. Entre o final desse dia e o dia seguinte, a arguida conduziu o Tobias – que apresentava dois pensos imobilizadores e dores intensas – até à Estrada de S. Paulo, na Serra da Arrábida, abandonando-o indefeso e em agonia, sem comida nem água, e sem possibilidade de poder lutar pela sobrevivência em cima de uma vegetação junto ao estabelecimento Prana.

No meio de tanto azar e crueldade, horas mais tarde, o Tobias viria a acabar por ter a sorte de ver o seu destino cruzar-se com o de Vera Santos, responsável pelo projecto Conchinha, que visa o resgate e posterior adopção de animais errantes ou vítimas de abandono. Vera tratou de garantir o internamento de Tobias entre os dias 14 e 21 de Abril de 2017 e, actualmente, depois de ter sido acolhido por pessoas amigas de Vera na Marinha Grande quando se encontrava ainda em fase de recuperação, o cachorro voltou a sorrir para a vida.

O Tobias havia sido comprado por cem euros por G. Costa como presente para a sua filha, de 16 anos, no Dia da Criança. Agora, a G. Costa, resta-lhe cumprir as sanções decretadas por tribunal, sabendo que por um período de quatro anos e seis meses ficou também impedida de poder ter a seu cargo qualquer animal de companhia.

Comentários

- Pub -