Misericórdia aprova Orçamento para consolidar recuperação económica

20
visualizações

O Plano e Actividades da Santa Casa da Misericórdia de Setúbal para o próximo ano foi pensado com base no “rigor”, afirma o provedor Cardoso Ferreira. A recuperação do património da instituição mantém-se entre as prioridades

 

- Pub -

O Orçamento 2019 da Santa Casa da Misericórdia de Setúbal (SCMS) tem um valor global de 4.754.650 euros. A verba foi aprovada ao fim da tarde da passada quinta-feira em sessão plenária da Assembleia-geral, e corresponde a montante idêntico ao de 2018.

Os 48 irmãos reunidos aprovaram apenas com duas abstenções um Orçamento que apresenta um resultado líquido estimado em 63.085 euros. Quanto às despesas estimadas, refere comunicado da SCMS, “estas totalizam 4.691.565 euros, sendo os custos com o pessoal a principal rubrica, com um total de 3.000.720 euros, mais 182.055 euros do que no exercício de 2018, em virtude do impacto com o aumento do salário mínimo nacional previsto para 2019”.

No capítulo das receitas, está previsto um encaixe total de 4.754.650 euros, a maior fatia dos quais proveniente da prestação de serviços, que deve atingir os 2.575.600 euros, mais 44.300 euros no que no ano que agora finda”.

Durante a sessão plenária, o provedor da SCMA, Fernando Cardoso Ferreira, referiu que, “tal como aconteceu nos últimos anos, este é um Orçamento de rigor, que vai permitir consolidar a recuperação económica e financeira iniciada há alguns mandatos, bem como realizar um investimento em novas tecnologias que possibilitará modernizar os serviços e melhorar o seu desempenho”.

Para os Órgãos Sociais da SCMS a proposta de Plano de Actividades agora aprovada reflecte a aposta da instituição nas novas tecnologias “como instrumento de eficiência e qualidade dos serviços”. Consideram ainda que está “em coerência com as principais linhas de orientação da Mesa Administrativa, concretamente no âmbito da redução da despesa e da estratégia de modernização e de melhoria do desempenho”.

A isto acrescentam que o documento “adequa-se ao desenvolvimento da estratégia para a SCMS e traduz, de forma equilibrada, as melhorias a introduzir a nível interno para efeitos de uma melhor eficiência dos serviços com elevação dos níveis de satisfação dos utentes e também dos recursos humanos”.

Quanto aos objectivos estratégicos do Plano de Actividades, “centram-se na consolidação do processo de estabilização financeira da SCMS e no equilíbrio na sua gestão”. Aqui é considerado o investimento para reabilitação do património da SCMS, com financiamento externo, e continuação da implementação de instrumentos e processos de gestão funcional iniciados em 2016.

A qualidade dos serviços prestados, a boa relação com fornecedores e a consolidação de parcerias no âmbito local e regional, “valorizando a imagem externa da SCMS”, estão também explanadas no plano.

Comentários

- Pub -