Casa Ermelinda Freitas cresce e ultrapassa os 20 milhões no volume de negócios

26
visualizações

Grande aposta é aumentar o valor de exportação que voltou a manter-se, em 2017, acima dos 1,3 milhões de euros

 

- Pub -

A Casa Ermelinda Freitas voltou a registar um crescimento no volume de negócios em 2017, ultrapassando a barreira dos 20,6 milhões de euros o que lhe permite ocupar o 81.º lugar do ranking das 500 maiores empresas do distrito de Setúbal.

A produtora de vinhos comuns e licorosos, sediada no concelho de Palmela, teve uma variação positiva de 17,05%  no volume de negócios que ascendeu, no ano transacto, aos €20.612.145, que comparam com os €17.608.977 alcançados em 2016. Com 44 empregados – em 2016 tinha 36 –, a Casa Ermelinda Freitas voltou também a registar valores idênticos no que toca à exportação, embora tenha sofrido um ligeiro abaixamento nesta taxa comparativamente com o ano de 2016 – passou de 7,63 para 6,38% em 2017. O valor de exportação atingiu no ano passado €1.314.251 face a €1.343.893 apurados em 2016, constatando-se uma variação negativa da exportação de 2,21%.

A internacionalização é, de resto, a prioridade mais imediata da produtora de vinhos, conforme admite Leonor Freitas, responsável pela administração da empresa. “O grande desafio é a exportação, os vinhos da Península de Setúbal têm grande qualidade, mas precisam de ser reconhecidos lá fora assim como os vinhos portugueses. É essa a nossa grande aposta.”

A actividade económica no sector vitivinícola, considera, “está a evoluir positivamente apesar da grande concorrência e da competitividade” a que os produtores da região estão sempre sujeitos. Porém, a Península de Setúbal “é uma região privilegiada e com vinhos de grande qualidade, o que tem ajudado muito o seu desenvolvimento”, lembra, reforçando ao mesmo tempo que as condições existentes na região permitem “fazer vinhos de nicho para determinados momentos especiais, como de grande volume”.

Leonor Freitas

Boas perspectivas para 2018 e 2019

Em termos de vendas, Leonor Freitas revela a expectativa de poder registar em 2018 novo crescimento dos números. “Até ao momento tem corrido muito bem. Esperamos que termine bem acima do ano de 2017”, confessa, debruçando-se de seguida sobre a quantidade e a qualidade da vindima do presente ano que já se encontra em adega.

“A quantidade foi ligeiramente inferior à do ano de 2017, como já se esperava essencialmente devido à grande onda de calor no princípio de Agosto. Mas, ao que tudo indica, a qualidade é excelente, o que garante à Casa Ermelinda Freitas um bom ano de qualidade em 2019.”

Isto, depois de 2018 ter sido “o melhor ano de sempre” para a produtora, “não só em vendas como também em prémios”, já que a Casa Ermelinda Freitas conquistou “um novo recorde com mais de 260 prémios a nível nacional e internacional”.

A concluir, Leonor Freitas deixa um elogio ao trabalho desenvolvido por todos, tendo em conta o resultados já obtidos em 2018. “É um ano em que toda a equipa da Casa Ermelinda Freitas se esforçou bastante para obter os bons resultados. Todos temos consciência que é para o consumidor que trabalhamos, pois é graças a eles preferirem os vinhos da Casa Ermelinda Freitas que continuamos a crescer e a poder presenteá-los com bons vinhos”, rematou.

Voltar às 500 Maiores Empresas

Comentários

- Pub -