Vitória do Desportivo Fabril em Alfarim origina troca de galhardetes entre os treinadores

14
visualizações

Polémicas à parte, Jorge Prazeres considera que ganhou a equipa mais competente num jogo que já se previa difícil, devido à qualidade do adversário.

 

- Pub -

 

O Desportivo Fabril deslocou-se no passado domingo a Alfarim onde ganhou por uma bola a zero com um golo marcado por Bruninho, aos 67 minutos, num jogo que decorreu debaixo de muito chuva e que ficou marcado por alguma polémica devido à actuação da equipa de arbitragem que não agradou a ninguém e levou mesmo à troca de galhardetes entre os dois treinadores.

 

“Não perdemos com o Fabril mas sim com o senhor Tiago Bolegas porque foi ele que ajudou o nosso adversário a alcançar a vitória” disse  propósito Ricardo Jesus, treinador do Alfarim que é também da opinião que “o jogo ficou marcado pelas constantes agressões do avançado do Fabril que  aos dois minutos com uma cotovelada furou a cara do Márcio e mais tarde fez perder a visão ao Luisão, originando a ambos a sua hospitalização. Quando nós, que andamos no futebol há algum tempo, valorizamos este tipo de postura é sinal de que muita coisa está mal”, insinuou.

 

Jorge Prazeres, por sua vez respondeu da seguinte forma: “Se ele teve dois jogadores agredidos, eu tive mais, só que não foram ao hospital. Não vi por lá nenhuma ambulância, nem vi essa gravidade e não vi nenhum jogador sair combalido a esse ponto. O que vi foi o capitão do Alfarim sistematicamente a procurar o contacto para a falta e vi também uma falta grosseira em que larga a bola e tenta arrancar pela raiz  o Carvalho, o árbitro marca falta mas nem amarelo lhe deu, quando merecia o vermelho directo. Vi também o defesa esquerdo adversário agredir o meu central, sem que tivesse visto qualquer amarelo. Creio que o treinador do Alfarim está a ser injusto. Não quero dizer com isto que não tenha havido uma outra entrada mais forte mas se toda a gente conhece o Bruninho e o Caramelo também toda a gente conhece o Mantorras. As coisas são como são e o que conta são os três pontos e a forma como os conseguimos”, referiu o treinador do Fabril.

 

“Estamos num bom momento”

 

Sobre o jogo, Jorge Prazeres reconhece que não foi fácil sair de Alfarim com a vitória, que considera justa.

“Entrámos muito bem na partida e criámos logo duas situações em que poderíamos ter marcado mas faltou-nos um pouquinho de sorte. O jogo tornou-se depois muito complicado porque o árbitro não teve capacidade para o segurar. As condições climatéricas também não ajudaram porque houve muitos duelos e muitos confrontos mas o Fabril foi sempre uma equipa forte, compacta e ainda viu um golo ser anulado sem se saber porquê. Estamos num bom momento porque a equipa parece que finalmente encontrou o que faltava. Fomos uns justos vencedores. Ganhou a equipa que foi mais competente num jogo que já se previa difícil porque o Alfarim é um adversário que está muito bem orientado, tem uma equipa agressiva, mete sempre muita gente do último terço e tinha marcado em todos os jogos”.

 

O Desportivo Fabril é o terceiro classificado do campeonato distrital da 1.ª divisão com menos três pontos que C. Piedade e Barreirense, que lideram a competição.

Comentários

- Pub -